Início Notícias Análise: Como joga Camarões e os perigos para o Brasil

Análise: Como joga Camarões e os perigos para o Brasil

(Foto: Reprodução)

A Copa do Mundo começa neste domingo (20/11). A Seleção Brasileira, porém, só entra em campo na quinta-feira (24), contra a Sérvia. O DIÁRIO DO FLA preparou uma análise sobre os dois primeiros adversários do Brasil. Agora, fizemos sobre o último da fase de grupos: Camarões.

A Seleção Camaronesa é considerada a mais frágil do grupo. Foi, inclusive, uma surpresa a classificação contra a Argélia, considerada uma equipe mais forte. Além disso, Camarões teve uma mudança recente no comando técnico. Após a queda na semifinal da Liga Africana neste ano, o português Toni Conceição saiu, para entrada de Rigobert Song.

A mudança foi motivada pelo chefe da confederação, o ídolo camaronês Samuel Eto’o. O ex-atacante jogou ao lado de Song e confiou nele para o desafio. Foi com o atual treinador que o time passou pela Argélia, pelo critério de gol fora, após perder em casa por 1 a 0 e vencer fora por 2 a 1.

Entretanto, por conta dessa recente mudança, é difícil saber exatamente como a Seleção vai atuar na Copa. Os jogos após a classificação não foram dos mais animantes para a equipe. Ao todo, são duas derrotas, para Uzbequistão e Coréia do Sul, e dois empates, para Jamaica e Panamá, em quatro jogos.

O último, no 1 a 1 contra o Panamá, foi realizado nesta sexta-feira (18/11). O treinador colocou em campo a Seleção em um 4-1-4-1. Onana foi o goleiro, com Collins Fai na lateral-direita, Tolo na esquerda e a zaga formada por Castelleto e N’Koulou. No meio, Hongla ficou de primeiro volante.

Na frentee dele, Bryan Mbeumo aberto na direita, Anguissa e Ntcham por dentro e Ekambi – um dos principais nomes de Camarões – na esquerda. O centroavante foi Vicent Aboubakar. O gol, por sua vez, foi marcado por Choupo-Moting, do Bayern de Munique, que entrou na segunda etapa.

O centroavante, inclusive, tem muitas chances de ganhar a titularidade ao longo da fase de grupos. Choupo-Moting, ex-PSG, vive temporada mágica no time alemão, com 11 gols e 3 assistências em 16 jogos. É um jogador de área, com boa finalização e força no jogo aéreo, para o Brasil ficar de olho.

No sistema defensivo, Onana é um goleiro de alto nível, titular da Inter de Milão. O lateral-direito Fai é mais ofensivo, enquanto o esquerdo é defensivo, ficando próximo da dupla de zaga. Hongola, do Hellas Verona-ITA, faz a proteção da zaga, podendo disputar a vaga com Gouet.

Já Anguissa é o principal nome do meio de campo. O atleta vive excelente fase no Napoli-ITA, time que vem se destacando muito na temporada. O Brasil precisa ficar de olho nele, que é um atleta com bastante qualidade, principalmente na condução de bola. Será o “motor” de Camarões na Copa.

Já Ekambi, do Lyon, é o jogador mais “diferente” no quesito técnico ofensivo. Isso porque, o ponta é um jogador criativo, de drible e finalização, que vive ótimo momento no Lyon. No último Campeonato Francês, fez 12 gols e 5 assistências em 30 jogos, enquanto na atual já tem 4 gols e 1 assistência em 15 partidas.

Já Mbeumo é um atleta de 23 anos, do Brentford-ING, que defendia as seleções francesas de base, mas passou a atuar pelo Camarões recentemente, sendo uma peça bem importante. Isso porque, o atleta tem bastante velocidade e deve jogar aberto na direita, com Ekambi na esquerda.

Com a posse de bola, Camarões não costuma oferecer perigo. Entretanto, quando atua se defendendo, pode ser perigoso no contra-ataque. Seleção terá bastante velocidade pelos corredores e o Brasil precisa ficar de olho nesse aspecto, além da presença de área de Choupo-Moting e a condução de Anguissa.

 

Fonte: Diário do Fla