Início Notícias “Com a mudança na presidência do Brasil, o estádio do Flamengo vai…”;...

“Com a mudança na presidência do Brasil, o estádio do Flamengo vai…”; Landim ‘recebe comunicado’ de última hora sobre a construção da nova arena para o Clube

A construção de um novo estádio é sonho de todo torcedor flamenguista

O Flamengo vem batendo recordes a praticamente toda temporada. É o time mais vencedor desde 2019 e tem uma “fome” de títulos impressionante. A gestão Rodolfo Landim é muito vitoriosa e, apesar de alguns erros, ele já está na história do Clube como um dos mandatários mais vencedores e midiáticos. Não é à toa que o CRF mudou de patamar com ele na presidência.

O maior objetivo de Landim continua sendo dar o pontapé inicial para a construção do estádio próximo do Flamengo. Ele já falou inúmeras vezes que esse projeto iria sair do papel, o investimento seria feito e contaria com ajuda de muitos políticos. Com a mudança na presidência do Brasil, saindo Jair Messias Bolsonaro e entrando Luiz Inácio Lula da Silva, a torcida flamenguista andou se perguntando se algo iria interferir no projeto flamenguista.
 



Os aliados de Landim acreditam que não existirá uma barração ou algo do tipo nessa caminhada do Flamengo para a construção do novo estádio.O Flamengo projeta gastar pouco mais de R$ 1,4 bilhão para realizar o sonho de toda Nação Rubro-Negra. A ideia, inclusive, é fechar a compra do terreno até março de 2023. Mesmo com a mudança na governança do Brasil, a negociação está de pé e os dirigentes do CRF continuam muito confiantes que terão parceiros para ajudar nessa empreitada. 

Foto: Thiago Ribeiro/AGIF
Foto: Thiago Ribeiro/AGIF

O presidente Landim já foi informado que o negócio deve avançar um pouco mais até a virada do ano. O VP jurídico do Flamengo, Rodrigo Dunshee, falou que o terreno ideal para o CRF é mesmo o Gasômetro.



 

O terreno ideal para essa história do estádio é o do Gasômetro. Só que esse terreno é mais complicado, precisa do envolvimento do poder público federal, estadual e municipal. Esse terreno pertence a um fundo imobiliário da Caixa Econômica Federal, que é gerenciado por uma empresa financeira, a Vinci Partners, e a Secretaria do Patrimônio da União (SPU) também tem interesse. Eu e o Landim estivemos em Brasília conversando com a SPU, ele também esteve com a Daniella Marques, presidente da Caixa Econômica, e profissionais do clube sentando com a Vinci Partners, sobre acordos de confidencialidade e tal”, Explicou em entrevista ao Podcast BarbaCast.

Fonte: Bolavip