Início Notícias ‘A geração de 2019 é tão vencedora como a de 1981’, declara...

‘A geração de 2019 é tão vencedora como a de 1981’, declara Júnior

Fotos: Gilvan de Souza/Flamengo

Flamengo conquistou o tricampeonato da Libertadores, neste último sábado, em Guayaquil, no Equador. Nesse sentido, o Rubro-Negro coleciona duas taças da América nos últimos quatro anos. Desse modo, o craque Júnior, campeão com o Mais Querido do torneio Sul-Americano, em 1981, comparou os feitos dos elencos no programa Seleção Spotv.

Siga Diário do Fla Twitter 

“A geração de 2019 é tão vencedora como a de 1981. Acho que naquele período o Flamengo foi pioneiro em muitas coisas. Principalmente com a chegada do Márcio Braga, que trouxe uma outra mentalidade para o clube. Nós passamos 76 e 77 sem ganhar nada. O Flamengo já tinha um grande domínio em termos de torcida, mas precisava conquistar algum título importante”, relembrou o ídolo da Nação.

“Foi então, que surgiu esta mentalidade de conquistar o Campeonato Brasileiro. Este, seria o primeiro passo, que aconteceu em 1980. Posteriormente, a ideia foi conquistar a Libertadores e depois o Mundial, que vieram em 1981. Hoje, a estrutura do Flamengo, e a condição financeira do clube, é muito melhor que antigamente”, concluiu.

Gabigol e Zico 

Além disso, o ex-jogador do Mengão ainda comparou o atual ídolo da Nação, Gabigol, com o ex-companheiro, e maior ídolo da Nação, Zico. O camisa nove igualou o eterno camisa dez da Gávea em gols, em finais da Libertadores, com o Manto sagrado.

“Acho que as comparações vão naturalmente acontecer, mas você terá alguém mais importante na história do Flamengo do que o Zico? Não vai, e ponto, acabou. Hoje se fala, que o Gabigol é o maior depois do Zico. Ele tem o carisma e sabe lidar muito bem com a torcida e está na história do Flamengo, não precisava nem ganhar esta Libertadores para isto”, finalizou.


Fonte: Diário do Fla