Início Notícias Flamengo joga finais para ganhar, mas fica longe de dar show

Flamengo joga finais para ganhar, mas fica longe de dar show

Pedro Henrique dando carrinho em Ayrton Lucas durante Flamengo x Athletico-PR – Foto: Divulgação

BLOG DO DANILO LAVIERI: O Flamengo termina 2022 como campeão da Copa do Brasil e da Libertadores, mas bem longe de dar os shows esperados contra os dois adversários claramente menos qualificados. A verdade é que para a torcida o mais importante é jogar para ganhar, não importa como. Há aqueles que até gostam de sofrer mais. Mas dada a diferença do elenco de Dorival para os de Vitor Pereira e Felipão, o time do Rio de Janeiro poderia ter apresentado um futebol melhor, o que pode ficar de lição para 2023.

É diferente caso o título fosse para o Corinthians na competição nacional ou até para o Furacão na Libertadores. Ninguém esperava que eles apresentassem um bom futebol para chegar à taça. Já para os flamenguistas, vencer dando show é um projeto de clube desde a saída de Jorge Jesus.

Na vitória de hoje, por exemplo, o Flamengo jogou durante todo o segundo tempo com um atleta a mais e ficou bem longe de massacrar seu adversário. Pelo contrário, Bento fez poucas defesas e nos minutos finais o Athletico ainda conseguiu incomodar o adversário e chegou até a ver Santos bater roupa dando mais chance do que o esperado para um time com um jogador a menos.

Mesmo com 1 a 0 e com mais atletas em campo, o time da Gávea teve dificuldades de segurar a bola e viu Pedro ficar isolado depois das saídas de Gabigol e Arrascaeta. Não foi o show visto, por exemplo, na semifinal da Libertadores contra o Vélez Sarsfield fora e dentro de casa e até mesmo durante toda a competição quando o time chegou à final de forma invicta.

Contra o Corinthians, na Copa do Brasil, o cenário foi parecido. O Flamengo jogou recuado de uma forma que ninguém esperava e, depois de um excelente primeiro tempo, sofreu por 45 minutos e viu o Timão pressionar o jogo todo. A postura orientada por Dorival Júnior rendeu até críticas por parte de seus jogadores, como no caso de Filipe Luís, que disse que não poderia ver a equipe jogar dessa forma.

Mais uma vez é importante destacar: o que fica para a história é o título e isso ninguém vai tirar desse elenco. Mas a expectativa era de um futebol melhor apresentado considerando a diferença do nível entre os três elencos e até mesmo o que o próprio Flamengo apresentou nas fases anteriores.