Início Notícias Tostes revela que dívida do Flamengo está em R$ 250 milhões

Tostes revela que dívida do Flamengo está em R$ 250 milhões

Rodrigo Tostes e Gustavo Oliveira com troféu de campeão Brasileiro 2020 do Flamengo – Alexandre Vidal

MUNDO RUBRO-NEGRO: Por André Antunes

O Flamengo se prepara para disputar sua terceira final de Libertadores em quatro anos, cenário que nem o torcedor mais otimista poderia imaginar há 10 anos. Afundado em dívidas, o clube passou por um período de reconstrução e hoje é a maior potência do continente. Um dos responsáveis pelo atual momento financeiro, Rodrigo Tostes falou sobre o assunto em entrevista aos canais ESPN.

Em Guayaquil para acompanhar a final, o Vice de Finanças do Flamengo contou sobre os anos de preparação para chegar ao atual momento e revelou que o clube hoje está “completamente controlado” financeiramente. Confira trechos da entrevista de Rodrigo Tostes:

Em primeiro lugar, Tostes falou sobre como o Flamengo está estruturado financeiramente e se está preparado para chegar sempre nas finais:

“Foram anos de preparação para isso, para que a gente não vivesse um ciclo, mas um período grande. E é isso que estamos fazendo, acho que esses três anos coroam um projeto que a gente começou e tende a ficar perene por muito tempo, porque não estamos aqui por acaso. O que podemos prometer é que a gente quer conhecer todas as cidades da América do Sul nos próximos 10 anos. Ganhar e perder faz parte do esporte, mas estar na final é essencial, e a torcida pode ter certeza de que estamos lutando para isso”.

Perguntando sobre qual era o tamanho do problema, em números, da dívida que a Chapa Azul encontrou em 2013, e como o clube está agora, Tostes falou que a situação financeira do clube se inverteu.

“Bom, olhando para trás nesses 10 anos, a gente não sabia onde estávamos pisando. Quando a gente entrou, fizemos uma auditoria com uma empresa super renomada, e a dívida apontava para algo entre 700 e 800 milhões. E a gente tinha um faturamento de aproximadamente 182, 185 milhões de reais. Então iriamos demorar, mantendo esse patamar de receita. A gente aumentava ano a ano a dívida, essa dívida não era com aquela estrutura, não era possível de se pagar. Então a gente tinha muito mais despesas do que receitas, e tinha um passivo enorme, uma dívida enorme que vinha se acumulando. Então o que a gente fez nessa reestruturação foi se preparar. Se não fosse uma associação, eventualmente o Flamengo já teria pedido falência, porque não tinha capacidade de pagamento. Então a gente renegociou as dívidas, fez um trabalho longo de aumento de receita”;

“Então hoje a situação é inversa. A gente tem uma dívida de aproximadamente 200 a 250 milhões, mas um faturamento acima de 1 bilhão. E gera caixa, gera resultado operacional que já seria o suficiente para quitar a dívida em 100%. Mas por que não faz? Porque a gente prefere ter uma dívida pequena, alongada, com taxas baixas e que aumente nossa capacidade de investimento. E por que a gente tem taxas boas? Porque temos capacidade de pagamento, há 10 anos não tinha ninguém querendo emprestar dinheiro para o Flamengo. Hoje todo mundo quer, hoje o Flamengo tem um banco, a gente é sócio de um banco.

Tostes ainda mandou o recado de que o Flamengo está com a dívida absolutamente controlada:

“Quando a gente ouve falar que o Flamengo vai pagar a conta daqui a pouco, gente que não entende do assunto perguntar de onde vem o dinheiro, eles não sabem o que estão falando. O Flamengo está absolutamente controlado. Foram anos se preparando para estar aqui, a administração é absolutamente responsável. Portanto, hoje o Flamengo está tranquilo financeiramente”.