Início Notícias No Equador, Flamengo terá melhor estrutura que últimas finais

No Equador, Flamengo terá melhor estrutura que últimas finais

Foto: Divulgação

GLOBO ESPORTE: Por Fred Huber

Depois de duas idas do supervisor Gabriel Skinner a Guayaquil, a segunda na companhia do presidente Rodolfo Landim, que cumpriu uma agenda política, o Flamengo está com a logística e estrutura prontas para a disputa do título da Libertadores, no próximo sábado, contra o Athletico-PR. Será a terceira decisão do clube nas últimas quatro edições da competição, a quarta na história.

A percepção do Flamengo é de que em Guayaquil os jogadores terão uma estrutura melhor do que a que tiveram na última final da Libertadores, no Uruguai, com hotel bem equipado, boa academia e instalações adequadas para o treino.

Tudo é pensado para tentar suprir todas as necessidades do elenco e da comissão técnica. Um esforço coletivo de todos dentro do clube: gerência, supervisão, departamentos médico e de comunicação, sob o comando da direção. O restante é com os jogadores dentro de campo.

Mesmo com a grande dificuldade de arrumar quartos na cidade, na primeira ida ao Equador foi possível, junto com uma empresa de logística e auxílio do supervisor Márcio Santos, reservar 95 quartos no hotel da delegação e mais 65 quartos em um outro hotel para as famílias.

– Voo: a aeronave que deixa o Rio de Janeiro às 10h de quarta-feira tem 34 poltronas de classe executiva que viram camas. Elas serão utilizada pelos 29 jogadores (Bruno Henrique, Rodrigo Caio e Mateusão também viajam). Os familiares vão na parte de trás da aeronave.

O voo com a delegação do Flamengo é o único que vai direto para Guayaquil e levará cerca de seis horas (o Athletico vai fazer uma parada em Santa Cruz de la Sierra, na Bolívia, para fazer reabastecimento, por exemplo). O Flamengo conseguirá ir direto porque separou poltronas no voo para a troca da tripulação.

Como o Flamengo joga na terça à noite contra o Santos e a saída do Ninho do Urubu está prevista para 7h da manhã de quarta, o clube vai autorizar quem quiser pernoitar no CT (os familiares vão direto para o aeroporto).

Ao todo o Flamengo fretou três voos (o fretamento é feito pelo setor de Bens e Serviços do clube). No da delegação vão jogadores, comissão técnica, diretoria, vice-presidentes e familiares. Nos outros dois vão conselheiros, sócios e convidados. Um decola na quarta à tarde, e outro será um bate e volta. Todas as passagens foram cobradas.

– Desembarque: a delegação vai chegar pela base aérea, em uma área exclusiva. Os familiares vão fazer o trâmite normal de imigração com os outros passageiros.

– Hotel: todos os jogadores ficam em quartos individuais, em um andar exclusivo, com elevador exclusivo, sala de preleção, sala para cortar o cabelo e sala de convivência para receber visitas e familiares. Ao todo, o clube ocupará cerca de 70% do local. Os outros hóspedes terão contato com os atletas apenas na hora da saída para os treinos.

– Fisioterapia: para cuidar da prevenção e recuperação física dos atletas, o Flamengo vai levar cinco fisioterapeutas em vez dos três que normalmente viajam. No hotel, um salão foi transformado em “departamento médico” com oito macas, com todos os equipamentos necessários.

– Academia: outro item que no Equador será melhor do que na última final. O Flamengo terá uma academia no hotel e, depois de conseguir autorização da Conmebol, vai utilizar uma academia privada, de boa qualidade, anexa ao estádio do Emelec, onde o time fará os treinos. Na quinta e sexta-feira o local será fechado por duas horas, sempre antes dos treinos no campo, para atender com exclusividade os jogadores.

No dia da chegada a Guayaquil (15h40 no horário de Brasília), o elenco utilizará a academia do hotel para uma atividade.

– Alimentação: o hotel fornece uma boa estrutura para a preparação das refeições, mas o Flamengo levará seu cozinheiro. Uma curiosidade: na bagagem estarão 50 kg de feijão, 30kg de farofa além de muita goiabada e goma para preparar tapiocas.

– Estrutura para treinos: o Flamengo utilizará o estádio do Emelec para realizar dois treinamentos, na quinta e sexta (às 17h de Brasília, mesmo horário do jogo). A estrutura de campo e vestiário agradou.

A expectativa é de que o gramado esteja em boas condições, apesar de o Emelec não ter parado de usar o local para seus jogos (atuou no sábado contra o Club Técnico Universitário).

A imprensa só acompanhará 15 minutos dos treinos. O restante do tempo será totalmente fechado para que Dorival Júnior possa acertar os últimos detalhes antes da decisão.

– Material: ao todo, o Flamengo levará 1 tonelada de material para Guayaquil. Além disso, a Conmebol fornecerá outros itens para os treinos, como balizas, estacas, cones, bonecos… Para organizar tantas coisas, três roupeiros vão viajar com a delegação (normalmente são dois).

Estádio Monumental, o palco da final: o local está fechado e o gramado ficou sob a responsabilidade da agrônoma da Conmebol. A expectativa é de que esteja em condições ideais na final. A estrutura de vestiário também agradou.

Os jogadores farão o reconhecimento do gramado na sexta, após o treino no estádio do Emelec.

– Deslocamento: apesar de Guayaquil ter um trânsito considerado pesado, o Flamengo fez testes entre as instalações que irá utilizar e acredita que o deslocamento será rápido por causa da ajuda dos batedores da polícia.

– A volta ao Rio: retorno programado (o clube espera que com a taça na bagagem) para 1h da manhã, com chegada no Galeão prevista para 8h50.