Início Notícias Repórter da Globo nega existência da ‘Flapress’

Repórter da Globo nega existência da ‘Flapress’

Foto: Reprodução

MUNDO RUBRO-NEGRO: Por Matheus Celani

Uma das maiores narrativas criada pelas torcidas adversárias do Flamengo, é a “flapress”. Flapress, é o termo para definir uma suposta preferência ao Mengão pelos veículos de esporte do Rio de Janeiro. Em participação no podcast “Barbacast”, o repórter da Globo, Carlos Gil, desmistificou essa narrativa.

Segundo Carlos, durante os 20 anos em que trabalha na Rede Globo, maior acusada de favorecer o Flamengo, teve mais chefes que não eram flamenguistas do que torcedores do rubro-negro. Porém, cita o tamanho da torcida e audiência para explicar o porque muitas vezes, o clube recebe mais espaço nos veículos que outros sem a mesma capacidade de engajamento.

“Trabalho há 26 anos, nenhum chefe falou ‘faz matéria maior porque é do Flamengo. Existem números, público consumidor, é só pegar todos os números de uma transmissão de futebol. Flamengo e River Plate da final da Libertadores teve a maior audiência da televisão, desde a final da Copa de 2022. Então, contra fatos não há argumentos, os números estão aí, o Flamengo tem mais transmissões porque vai dar mais audiência”, disse o repórter.



Provavelmente, a torcida campeã em reclamar da mídia carioca é a botafoguense. Por outro lado, Carlos Gil teve a oportunidade de entrevistar John Textor, dono do clube, e de acordo com o jornalista, o americano sabe que é difícil competir com o rubro-negro midiaticamente.

“O Textor tem uma visão mercadológica muito interessante, e ele tem essa noção de que não adianta mirar no Flamengo. É claro que o torcedor do Botafogo tem uma rivalidade com o Flamengo, mas no âmbito comercial, o cara que está comandando sabe que é difícil chegar onde o Flamengo está agora. Ainda são prateleiras muito diferentes”, revelou Carlos Gil.

Imprensa bate mais no Flamengo do que nos rivais
O repórter da Rede Globo revelou que muitas vezes as redações criticam mais o clube após uma derrota, em comparação aos outros times. O motivo, é que a presença constante em finais e vencer títulos com frequência faz com que o torcedor aguente.

“Quando o Flamengo está em crise, quando perde um jogo vexaminoso, eu acho que a pancada que é dada na matéria é grande, às vezes até passa um pouco da medida. De você pensar a torcida do Flamengo não sofre tanto, vamos bater mais, toda hora em uma final, toda hora ganha alguma coisa”, disse.

Em um outro momento, o apresentador Rafael Cotta disse sobre a época que trabalhava no Flamengo e teve conversa com editor-chefe do Lance. O editor-chefe na ocasião revelou que capas com derrotas do clube vendiam mais que títulos dos rivais. Obviamente, as líderes em vendas eram capas com títulos rubro-negros.

“Uma vez conversando com o editor-chefe do Lance ele me falou assim ‘Rafa, sabe qual a capa de jornal que mais vende? título do Flamengo, a segunda que mais vende é derrota do Flamengo’. Não é o Vasco, é o Flamengo.”, contou o apresentador.