Início Notícias Ao contrário do Timão, Flamengo não irá chorar pela arbitragem

Ao contrário do Timão, Flamengo não irá chorar pela arbitragem

Duílio, presidente do Corinthians, Gianni Infantino, da Fifa, e Landim, do Flamengo – Foto: Lucas Figueiredo

TORCEDORES: Por Danielle Barbosa

O Corinthians saiu de campo na bronca com a arbitragem após o empate com o Flamengo pelo primeiro jogo da final da Copa do Brasil. O time paulista reclama da não marcação de um pênalti e da não expulsão de João Gomes. Após a partida, o técnico Vítor Pereira e o presidente corintiano, Duílio Monteiro Alves, fizeram duras críticas ao árbitro Bráulio da Silva Machado. Pelo lado rubro-negro, a situação é diferente.

Ainda no intervalo da partida, pelo lado do Flamengo havia o pensamento de questionar o critério usado no cartão amarelo dado a João Gomes. Entretanto, os dirigentes do time carioca optaram por considerar uma melhora da arbitragem na segunda etapa. A informação é da ESPN.

De acordo com a publicação, institucionalmente o Flamengo irá evitar qualquer tipo de pronunciamento com críticas à arbitragem. O lance do suposto pênalti não marcado a favor do Corinthians, por exemplo, poderia mudar a postura da diretoria rubro-negra.

Em entrevista após a partida, o presidente do Corinthians, Duílio Monteiro Alves, falou com os jornalistas e detonou a arbitragem. O dirigente tratou como “absurdo” a não marcação da penalidade.

“O que aconteceu hoje aqui foi um absurdo. O VAR interfere em muitos jogos e em muitas ocasiões, até mais do que devia, toda hora a gente tem o jogo parado. E é para isso que o VAR existe. Mas acontece um lance desse, numa final de campeonato, todo mundo viu que a bola bateu na mão”, começou Duílio. “Eu quero escutar o áudio (do VAR), mas pelo o que a arbitragem nos passou, o que foi entendido pelo VAR foi que a bola desviou na barriga. É um absurdo. O braço está aberto, aumenta o espaço corporal. O VAR serve para isso. O juiz não para um minuto para ir olhar (o lance no monitor)… Não volta, né? Hoje, infelizmente, o Corinthians foi muito prejudicado, e a gente espera que isso não ocorra mais, não só no jogo do Corinthians, porque a arbitragem no Brasil não está indo bem”, acrescentou.

Com o empate sem gols no primeiro jogo, quem vencer a segunda partida da final da Copa do Brasil garante o título da competição, independente do placar. Em caso de novo empate, a decisão será na disputa de pênaltis.

A decisão da Copa do Brasil 2022 será na próxima quarta-feira, dia 19, às 21h45 (de Brasília), no Maracanã. O grande campeão fatura R$ 60 milhões só pela conquista, enquanto o vice fica com R$ 25 milhões. A premiação máxima para quem ficar com o título será de R$ 76,8 milhões, contando com as fases anteriores.