Início Notícias “Jorge Jesus achava que eu seria refém dele”, diz Marcos Braz

“Jorge Jesus achava que eu seria refém dele”, diz Marcos Braz

Marcos Braz e Jorge Jesus no Flamengo – Foto: Alexandre Vidal

COLUNA DO FLA: A história de Jorge Jesus no Flamengo nunca será esquecida pelos torcedores rubro-negros. Sendo o comandante do time no ano ‘mágico’ em 2019, Mister teve a oportunidade de retornar ao clube no início deste ano, porém, acabou não acontecendo. Um dos homens fortes do futebol do Fla, Marcos Braz, vice-presidente do Mengo, abriu o jogo e explicou o motivo da não contratação do treinador português.

— O Jorge Jesus acreditava que eu não faria nada. Ele achou que eu não ia tomar uma decisão, que eu continuaria refém dele, insistindo nele por conta da pressão da torcida ser muito grande pela vinda dele. Eu tomei uma posição. Quando ele viu a posição que eu tomei, ele foi para o clube (Benfica) e, em um fato que não tinha nada com o Flamengo, ele afasta o capitão do Benfica. Quando chegou o comunicado do afastamento do capitão, os jogadores não saíram para treinar — declarou, antes de concluir:

— Os jogadores ficaram por 50 minutos dentro do vestiário. Chegou o presidente e os jogadores pressionaram o Jorge, pedindo a reintegração do jogador. Uma confusão danada. O treino atrasou em mais de uma hora. E após esse fato, o Jorge chegou a conclusão, juntamente com o Benfica, que não poderia mais ficar no clube. Isso um dia depois do Flamengo já ter técnico — finalizou Marcos Braz, ao canal “Pilhado”.

Vale destacar que esse imbróglio entre Flamengo e Jorge Jesus se arrastou por bastante tempo. Entre investidas do Fla e recusas do treinador, o Rubro-Negro continuou atento às oportunidades de mercado. Chegando a conclusão de que o Mister não sairia do Benfica (POR), o Mais Querido acabou acertando a contratação de outro treinador português, Paulo Sousa. Porém, os resultados não aconteceram.

Contratado pelo Flamengo em janeiro deste ano, Paulo Sousa chegou com a esperança de repetir o mesmo sucesso do compatriota. Porém, em meio a perda de títulos no início da temporada, as más atuações em sequência do time e a pressão muito forte de parte da torcida, o treinador acabou sendo desligado do clube em junho.

Após a saída do treinador, o Flamengo trouxe Dorival Júnior. Com a chegada do novo comandante, o Rubro-Negro retomou o caminho das vitórias e, com isso, chega nesta reta final de temporada figurando entre os melhores times do Brasil. Até aqui, o Mais Querido é finalista da Copa do Brasil e da Libertadores da América. Já no Brasileirão, mesmo com uma distância expressiva de pontos para o líder da competição, o time não desistiu e irá brigar até o final pelo título do torneio.