Início Notícias Flamengo decide fazer o maior estádio da América do Sul

Flamengo decide fazer o maior estádio da América do Sul

Projeto de estádio – Foto: Reprodução

BLOG DO COSME RÍMOLI: 15 de novembro. A diretoria do Flamengo trabalha para que o seu 127º aniversário seja histórico. Para marcar o início da construção do maior estádio, não só do Brasil, mas da América do Sul, com capacidade entre 85 mil e 100 mil pessoas.

O plano ousado do presidente Rodolfo Landim é transformar o clube em um dos maiores do mundo, usando como maior arma financeira a própria torcida.

O acordo com a Caixa Econômica Federal envolve a compra de um terreno de 116 mil metros quadrados, que fica na área do Gasômetro, entre o Maracanã, São Januário e a Rodoviária. O terreno é da própria Caixa. E será vendido ao clube.

Além do estádio, Landim já deixou claro que haverá a construção de um shopping center. O projeto se chama “Cidade Flamengo”. A inspiração é o que fez o Borussia Dortmund.

O próprio presidente Jair Bolsonaro já antecipou, em uma live, no mês passado, que o acordo está feito para a arena rubro-negra.

“Tem o Flamengo que quer um estádio para chamar de seu. A Caixa está estudando para passar essa área para o Flamengo. Tem algum custo para o Flamengo. Isso aí está sendo negociado. O Exército pode colaborar com terreno. Não vai ser apenas para jogo de futebol. Vai ser o shopping Flamengo, com toda a certeza.”

O presidente citou o Exército porque há um quartel ao lado da área em que o Flamengo vai construir sua arena. A movimentação nos dias de jogos poderia atrapalhar a rotina do quartel. Mas o “problema já foi sanado”.

O plano de Landim para o Flamengo pagar o empréstimo, que poderá ser bilionário, está atrelado à criação da Liga dos Clubes Brasileiros. Com o clube carioca atrelando parte de tudo o que receber, principalmente de transmissão dos seus jogos, ao pagamento de parcelas das dívidas.

Mas a ousadia maior é realizar o velho sonho de Landim para pagar o estádio: pôr ações do clube na Bolsa de Valores. Pode, e deve, ser através do Banco de Brasília, o principal patrocinador do clube.

A certeza do novo estádio é tanta que o vice de futebol, Marcos Braz, já avisou: “O Maracanã ficará para jogos contra clubes pequenos”.

Além do eterno sonho de um estádio para a maior torcida do Brasil, acalentado há dezenas de anos, o que impulsionou a busca apressada do início da construção foram os problemas com a administração do Maracanã.

A direção do Flamengo está extremamente insatisfeita com o que gasta para jogar no estádio. E quer o seu. A previsão otimista é que fique pronto entre dois ou três anos.

A cúpula do Flamengo acredita que poderá, com a Arena construída, até dobrar o faturamento por temporada. O clube deverá ser o único clube brasileiro a arrecadar mais de 1 bilhão de reais em 2022. Isso, sem seu estádio. Há a pretensão de começar a faturar antes mesmo do estádio pronto com a venda dos naming rights.

A ousadia não tem limites e atingindo a camada mais enriquecida da população carioca, brasileira. No planejamento, 8 mil cadeiras cativas seriam postas à venda com lugar privilegiado no estádio. O desejo é que cada uma delas custe R$ 100 mil, o que renderia incríveis R$ 800 milhões. Além disso, o estádio será construído pronto para receber os mais modernos shows do mundo.

A presidente da Caixa Econômica Federal, Daniella Marques, avisou que, com o Flamengo, o banco não seguirá o mesmo modelo da construção do estádio do Corinthians. O empréstimo de R$ 400 milhões para a Arena construída para a Copa de 2014 ainda não foi pago. Um novo acordo foi fechado em 2021.

A direção do Flamengo garante que a construção do seu estádio não afetará as finanças do clube e muito menos diminuir o potencial técnico da equipe. Pelo contrário, jogadores importantes, midiáticos, continuarão a chegar. Para que o clube conquiste títulos, ganhe mais dinheiro com transmissão, arrecadação e chegada de novos sócios-torcedores.

O entusiasmo da diretoria flamenguista é enorme para ter o domínio do futebol da América do Sul. Com a maior torcida do Brasil como cúmplice e apoio dos governos federal, estadual e municipal para ter o maior estádio do continente. Construir a “Cidade Flamengo”…