Início Notícias Equador estima faturar 260 milhões com final da Libertadores

Equador estima faturar 260 milhões com final da Libertadores

Estádio Monumental Isidro Romero Carbo, do Barcelona de Guayaquil, no Equador – Foto: Divulgação

BLOG DO MARCEL RIZZO: O governo equatoriano estima que os turistas que viajarão a Guayaquil para acompanhar a final da Libertadores entre Flamengo x Athletico-PR gastem o total de US$ 50 milhões (R$ 260 milhões) na cidade durante os dois ou três dias que permanecerão no local. O confronto está marcado para 29 de outubro, um sábado, inicialmente às 15h30 local (17h30 de Brasília).

O ministério dos Esportes do Equador e a prefeitura de Guayaquil estimam que 50 mil turistas visitem a cidade no período da finalíssima, entre visitantes equatorianos de outras regiões, mas principalmente brasileiros — com gasto médio de US$ 1 mil (R$ 5,2 mil) por pessoa. Nem o fato de não haver voo regular direto do Brasil a Guayaquil preocupa: o aeroporto internacional José Joaquín de Olmedo será preparado para receber dezenas de voos particulares, principalmente do Rio de Janeiro.

Há também negociação para aumentar os voos de Quito a Guayaquil na semana da final — muitos brasileiros devem desembarcar no aeroporto da capital equatoriana, apesar de também não haver voos regulares diretos.

A prefeitura de Guayaquil liberou US$ 2 milhões (R$ 10,4 milhões) para auxiliar o Barcelona, dono do estádio Monumental Isidro Romero Carbo, na preparação da arena e para investimento em segurança, pedidos da direção da Conmebol. A confederação sul-americana já estava ajudando financeiramente em melhorias no gramado, iluminação, vestiários e setores de imprensa, mas há preocupação com os acessos dos torcedores.

Ao governo federal ficou a incumbência da segurança dos turistas durante a estadia. Havia preocupação na direção da Conmebol porque em meados de 2022 protestos violentos ocorreram no país por causa do preço dos combustíveis — com mortos e feridos.

Em 2019 a entidade teve que tirar a primeira final em jogo único da história da Libertadores de Santiago, no Chile, por causa de manifestações violentas (Flamengo 2 x 1 River Plate foi em Lima, no Peru) e havia temor de ter que repetir isso agora. Em junho, porém, acordo do governo com os manifestantes encerrou os protestos no Equador.