Início Notícias “É criminoso com…”; Dorival Júnior entrega motivo para escalar time alternativo diante...

“É criminoso com…”; Dorival Júnior entrega motivo para escalar time alternativo diante do Ceará


Dorival optou em colocar uma equipe alternativa em campo, mesmo diante da vantagem adquirida na Copa Libertadores diante do Vélez

Com a vantagem conquistada na Copa Libertadores após golear o Vélez por 4 a 0 na partida de ida, válida pelas semifinais, disputada na Argentina, fez com a torcida Rubro-Negra esperasse força total para o confronto diante do Ceará, no último domingo (4), no Maracanã, no confronto que terminou empatado em 1 a 1. Com o resultado conquistado, O Mais Querido perdeu a oportunidade de diminuir a vantagem para o líder do Campeonato Brasileiro em cinco pontos. 

Durante entrevista ao “Charla Poscast”, o técnico Dorival Júnior justificou a decisão na escalação da equipe. O comandante relembrou o fracasso do Flamengo diante do América do México, na Libertadores de 2008. Na ocasião, a equipe carioca venceu o primeiro confronto por 4 a 2, sob o comando de Joel Santana sofreu uma eliminação após ser derrotado por 3 a 0, com três gols de Salvador Cabañas, no Maracanã.



“Pode ser que sim (erro dele na escalação), mas deixo um questionamento: já tivemos uma desclassificação dentro de casa… com o Cabañas. Venceu 4 a 2 lá e perdeu 3 a 0 aqui. No futebol, nada é impossível. Eu jamais me perdoaria, depois de uma vantagem conseguida a duras penas. Depois do que o Flamengo fez, algumas pessoas preferiram dizer que o Vélez não deveria estar na semifinal. É criminoso com o microfone nas mãos dizer isso. A equipe merece todo respeito e consideração. A torcida do Flamengo jamais me perdoaria se na quarta a vantagem viesse a cair, por um motivo ou outro, sem a equipe principal em campo. Eu trabalho com os pés no chão. Eu sei o que vamos enfrentar na quarta-feira novamente”, destacou.



Dorival foi questionado sobre as cobranças dos torcedores por colocar Diego como titular na equipe alternativa do Flamengo. Entretanto, o técnico destacou que a importância do meia vai além das quatro linhas. “Tem que existir um respeito. Ele é um dos que mais trabalha, se dedica, se entrega e assume o compromisso. Um profissional desse pode não estar no melhor momento, mas não deixa de ser importante. Quando se perde um jogador desse um grupo de trabalho, paga um preço muito alto. As pessoas não entendem. Acham que a resposta é só dentro de campo, e nem sempre é assim. Alguns, além da resposta técnica, dão uma resposta imensurável. Diego é um deles. Enquanto ele estiver no Flamengo, o Diego vai ser respeitado”.

Fonte: Bolavip