Início Notícias Fla explica ‘jogo duro’ no mercado: “Não precisamos vender”

Fla explica ‘jogo duro’ no mercado: “Não precisamos vender”

Arturo Vidal, Rodolfo Landim e Cacau Cotta – Foto: Gilvan de Souza / Flamengo

ESPN: O Flamengo chega ao último dia da janela de transferências nos principais mercados da Europa sem a perspectiva de fechar uma grande venda. Apesar de ter uma meta agressiva em seu orçamento, de arrecadar R$ 186 milhões, o clube não está preocupado com esse dinheiro.

Em entrevista exclusiva à ESPN, o presidente Rodolfo Landim explicou como tem sido a política de venda de atletas por parte do Rubro-Negro e como tal ação tem implicado até mesmo na falta de espaços para alguns nomes mais novos do clube.

“A gente não tem que vender ninguém. Mas o Flamengo, como qualquer clube, está aberto à análise das propostas que vierem. Nós conseguimos montar um plantel que evolui nas três competições. Para ficar vivo nas três competições, você precisa de fato ter um plantel mais forte, com um elenco maior”, iniciou o comandante.

“Se o Flamengo tivesse já fora de algumas competições, talvez algumas propostas que fossem feitas para o Flamengo fossem mais tentadoras, até para a gente poder ascender com algum jogador que a gente tem na base, que é um grande valor, que a gente precisa tentar desenvolver, que talvez esteja no sub-20, mas precisa de um pouco mais de espaço no time de cima, para poder amadurecer”.

Uma prova deste comportamento do Flamengo foi a permanência do centroavante Pedro após investida do Palmeiras. Em março deste ano, o Rubro-Negro fechou a porta para uma negociação de quase R$ 130 milhões com o rival. Na época, o clube carioca exigia o pagamento integral da multa rescisória de 100 milhões de euros (R$ 500 milhões).

Na última segunda-feira (29), o Flamengo negociou a saída de Vitinho gratuitamente ao Al Ettifaq, mas ficou com 35% dos direitos econômicos do atacante. Além disso, o clube recusou nos últimos dias uma oferta de cinco milhões de euros (R$ 27 milhões) pelo garoto Lázaro. A informação foi antecipada pelo Uol e confirmada pela ESPN.

Apesar da recusa, o clube está próximo de selar a venda do garoto ao Almería, da Espanha, por 7 milhões de euros (R$ 35 milhões). A informação foi trazida pelo GE nesta quinta-feira (1° de setembro) e confirmada pela reportagem. O clube de LaLiga irá adquirir 70% dos direitos econômicos do atacante.

O clube ainda poderá receber 2,4 milhões de euros, algo em torno dos R$ 12 milhões, pela ida de Lucas Paquetá ao West Ham, da Inglaterra, caso o meio-campista alcance todas as metas estipuladas em contrato. O Rubro-Negro tem direito a cerca de 4% do valor total da negociação, que pode chegar aos 61 milhões de euros (R$ 317 milhões), por conta do mecanismo de solidariedade da Fifa.

“Com os times mais encaixados, com o Flamengo em todas as competições, e sabendo que a gente está economicamente equilibrado, fica muito difícil da gente ceder a certas propostas que chegam”, finalizou Landim.