Início Notícias "O pessoal no DM dizia…"; bastidores do Flamengo são revelados e 'aflição'...

"O pessoal no DM dizia…"; bastidores do Flamengo são revelados e 'aflição' de Paulo Sousa vem à tona


O técnico português, que teve passagem conturbada pelo Rubro-Negro, enfrentou muitos problemas para equilibrar todas as competições

Fabrício Bruno chegou ao Flamengo no inicio do ano de 2022 e vive seu melhor momento com a camisa Rubro-Negra. No entanto, para chegar à boa fase e ser aprovado pela Nação, o zagueiro enfrentou momentos difíceis no início da passagem pela equipe, precisando aprender a lidar com a pressão recorrente.



Anunciado em fevereiro, o zagueiro se machucou três meses depois. Bruno teve uma lesão rara no ligamento do dedão e precisou passar por cirurgia para a retirada de um fragmento ósseo do pé esquerdo. Em entrevista ao canal fechado TNT Sports, o defensor relembra o período de recuperação, em meio à crise no comando de Paulo Sousa.

Um lance tão bobo… fui correr e bati o dedo no calcanhar do Manoel, senti uma dor e uma ardência muito grande. Aí você começa a ficar se perguntando: ‘por que comigo?’ E pra ser sincero, eu não achava que tinha tido a lesão que tive. Quando cheguei na fisio, falei que destronquei o dedo, mas não era só isso. Nos primeiros exames descartou fratura, só que viajei para a estreia da Libertadores e não conseguia jogar, não conseguia andar. Inúmeras tentativas de voltar a jogar e não conseguia. Conversava muito com Tannure, depois fomos aprofundando mais, entra a Doutora Verônica para tentar ajudar a descobrir o que acontecia. Só que a gente vivia um momento difícil com Paulo Sousa“, recorda o defensor.



Desde que se recuperou, Fabrício Bruno participa do rodízio de Dorival Júnior entre as partidas pelo Campeonato Brasileiro, Copa do Brasil e Libertadores. A respeito dos bastidores do novo comando técnico, o zagueiro expressa satisfação do elenco. “O Dorival fala: não tem titular. O sistema defensivo todo vai muito bem, a linha de 4 é montada e bem trabalhada nos dois times, isso reflete muito o trabalho do Dorival. Já passei em clubes que o time de cima tinha desempenho e quando ia jogar o outro time não entregava igual. Aqui não, a gente monta sistemas diferentes e acaba se consolidando. Esse rodízio agrada a todos“, completou.



Fonte: Bolavip