Início Notícias Análise Tática Flamengo 3 x 1 São Paulo: Ótimo resultado, eficiência e...

Análise Tática Flamengo 3 x 1 São Paulo: Ótimo resultado, eficiência e pontos que precisam ser melhorados

(Foto: Reprodução/Marcelo Cortes/Flamengo)

O Flamengo venceu o São Paulo na quarta-feira (24/08), no Morumbi, pela ida da semifinal da Copa do Brasil. Atuando fora de casa, o rubro-negro não conseguiu se impor e foi bem pressionado por boa parte do tempo. Ainda assim, o time mostrou alguns problemas na defesa, mas conseguiu se segurar e foi eficiente no ataque, garantindo um ótimo resultado de 3 a 1.

Para a partida, Dorival Júnior não teve à disposição apenas o zagueiro Rodrigo Caio e o atacante Bruno Henrique, lesionados. Dessa forma, ele botou em campo o time que vem disputando as copas, em um 4-1-2-1-2. Na primeira linha, Rodinei e Filipe Luís nas laterais, com David Luiz e Léo Pereira na zaga. Já no meio de campo, uma espécie de losango.

Thiago Maia fez a função de primeiro volante, mais recuado, em frente à defesa. Everton Ribeiro ficou por dentro pela direita, com João Gomes à esquerda. Arrascaeta, por sua vez, ficou na outra “ponta” do losango, como um meia-armador, atrás da dupla de ataque, tendo liberdade para se movimentar. Já Pedro fez a função de pivô, mais fixo na área, com Gabigol solto, caindo pela direita.

A partida começou muito boa para o Flamengo. Os primeiros 15 minutos foram de posse total do rubro-negro, que se movimentava para tentar furar a sólida defesa tricolor. No primeiro lance de perigo, David Luiz deu belo passe quebrando linhas para Everton Ribeiro, que estava por dentro à direita, atrás dos volantes adversários. Ele já dominou e acionou Arrascaeta na infiltração, que driblou o goleiro e cruzou para Pedro. Foi um pouco forte, o centroavante se jogou, mas não pegou em cheio e jogou pra fora.

Então, aos 13, o gol. Após bola roubadq por Filipe Luís, ele conduziu pela esquerda e tocou para Everton Ribeiro, que tinha invertido de lado com João Gomes. O camisa 7, então, levou a bola e deu lindo lançamento para a direita, justamente na infiltração em velocidade do jovem volante na área, que cabeceou com precisão e marcou o para Flamengo, abrindo o placar.

Entretanto, após o gol, o São Paulo começou a pressionar. Por 20 minutos, o tricolor foi pra cima do Flamengo, que ficou recuado, sem conseguir sair. Volantes não conseguiam fazer a saída de bola, pressionados pelo time adversário, enquanto Pedro não conseguia fazer o pivô para reter a posse na frente.

Dessa forma, o tricolor foi para cima e começou a explorar o corredor direito da defesa rubro-negra. Isso porque, o estilo do Flamengo é muito preparado para atuar com a posse, mas, quando é pressionado, deixa espaços. Rodinei não recebia ajuda defensiva pela direita e estava sempre em situação de desvantagem, enfrentando Patrick e Reinaldo.

O lateral também não estava em uma noite inspirada na defesa, sem conseguir cortar os cruzamentos. Foi pelo setor que o São Paulo chegou com perigo algumas vezes. Em duas, parou em grande defesa de Santos, uma delas contando também com a ajuda do travessão. Na esquerda, Léo Pereira não estava tão bem, mas Filipe Luís tomou conta do setor.

Depois de muita pressão, o Flamengo conseguiu retomar o controle a partir dos 35, segurando a posse até terminar o primeiro tempo em 1 a 0. Na segunda etapa, David Luiz saiu para entrada de Fabrício Bruno. São Paulo continuou pressionando e achando espaço para cruzar pela direita, com a zaga rubro-negra muito bem nos cortes. A equipe adversária estava pressionando e o rubro-negro acoado, sem conseguir ficar com a posse.

O time teve uma boa chance. Léo Pereira conseguiu dar ótimo lançamento para Pedro, que avançou em velocidade, tirou a marcação e rolou para Gabigol dentro da área. Mas, o camisa 9, que estava mal na partida, jogou para fora. Dorival botou Vidal na vaga de João Gomes, para tentar retomar o controle do meio de campo.

A equipe não conseguiu. Entretanto, aos 22, após roubo de bola, Arrascaeta foi acionado no meio. Ele segurou a posse e tocou para Vidal, que acionou de primeira Rodinei na direita. O lateral avançou em velocidade e deu no uruguaio, que cruzou na segunda trave, mirando Pedro. O goleiro  conseguiu cortar, só que ficou à feição para Everton Ribeiro. O camisa 7 chutou, Jandira espalmou e Gabigol, atento, marcou.

Pouco depois, Dorival fez duas mudanças. Botou Victor Hugo e Cebolinha, nos lugares de Everton Ribeiro e Gabigol. O objetivo era dar mais intensidade no meio com o jovem e contra ataque pela esquerda. VH ocupou o espaço do camisa 7, Cebolinha a ala-esquerda e Arrascaeta passou a jogar mais pela direita. A partida começou a ficar controlada, com o São Paulo abatido pelo gol.

Entretanto, aos 30, o tricolor marcou. Em outra jogada pela esquerda, Rodinei não cortou o cruzamento e a bola ficou com Igor Vinicius na direita. O ala dominou, Cebolinha recuou para marcar, mas deixou Nestor livre. Ele recebeu o passe e finalizou de primeira. A bola desviou em Vidal e entrou, animando o adversário novamente no jogo, que voltou a pressionar.

Aos 44, Dorival colocou Lázaro no lugar de Pedro, que estava apagado. Então, aos 48, Fabrício Bruno deu lançamento na direção do jovem, quase na entrada da área do São Paulo. O zagueiro adversário cortou de cabeça, mas a bola ficou nos pés de Arrascaeta. O uruguaio dominou, girou e tocou para Cebolinha na entrada da área, que cortou para a direita e acertou lindo chute, marcando o terceiro rubro-negro.

A partida, então, não foi a melhor do Flamengo. Time foi pressionado de forma que não está acostumado e deixou espaços defensivos na direita, que não podem se repetir. Ainda assim, a equipe conseguiu se segurar, com grande atuação da dupla de zaga e Filipe Luís. Já na frente, foi eficiente e levou um ótimo placar no jogo de ida.

 

Fonte: Diário do Fla