Início Notícias "O Flamengo está jogando…"; Turco Mohamed 'culpa' Paulo Sousa e se rende...

"O Flamengo está jogando…"; Turco Mohamed 'culpa' Paulo Sousa e se rende a Dorival Júnior no Mengão

O ex-técnico do Atlético-MG fez uma análise do desempenho do Flamengo realizando um comparativo entre os técnicos Paulo Sousa e Dorival Júnior

O próximo compromisso do Flamengo no Campeonato Brasileiro é diante do Palmeiras e está marcado para o próximo domingo (21), às 16h, no Allianz Parque. A equipe Rubro-Negra está na vice-liderança do Brasileirão, a nove pontos do líder do Brasileirão, Palmeiras. Durante entrevista ao ESPN da Argentina o ex-técnico do Atlético-MG, Turco Mohamed, ressaltou o maior diferencial entre as equipes e sobre a postura apresentada dentro de campo.

“Quando joga com uma equipe mais pequena, tranquilo, faz 7 ou 8 gols. Foi assim na Conmebol Libertadores. Coisa que, o Flamengo ganha por 2 a 0 de uma equipe mais pequena. Eles fazem 7 ou 8 gols. Vão jogar contra o Atlético-MG e cedem a bola os 90 minutos. Contra o River Plate eles também vão ceder a bola. E jogam dessa maneira. O Flamengo não, o Flamengo impõe as condições, manda na partida, e se quiser ficar com a bola, vai ter que brigar”, avaliou.



Turco ainda destacou a evolução da equipe carioca com a chegada de Dorival Júnior no cargo. “O Flamengo está jogando em um grande nível, um grande nível. O técnico Dorival Júnior encontrou a forma, é um 4-3-3, mas os três jogam por dentro. Não joga com pontas. Gabigol e Pedro são centroavantes, jogam pelos dois lados, e Arrascaeta joga livre. Mas os três jogam por dentro. Por fora vão os laterais. E os volantes também vão por fora as vezes”, destacou.

Foto: Jorge Rodrigues/AGIF
Foto: Jorge Rodrigues/AGIF

O técnico ainda apresentou o maior diferencial de Dorival se comparado ao antecessor, Paulo Sousa. “Agora está defendendo bem. No primeiro semestre, com o treinador português (Paulo Sousa), defendia mal, era uma equipe mais espaçada e dava muito espaço entre as linhas. Com o Atlético-MG, ganhamos do Flamengo em plena transição”.



“Hoje é difícil de competir com o Flamengo, porém há três meses, não era. Quando era treinador do Atlético-MG, peguei o Flamengo em plena transição. Primeiro na Supercopa e depois na Copa do Brasil. Depois que nos venceram, não pararam mais. Encontraram uma equipe, uma forma de jogo que, para mim, é muito melhor que o Palmeiras”, concluiu.

Fonte: Bolavip