Início Notícias STJD pune Flamengo em R$ 17 mil por acontecimentos em partida contra...

STJD pune Flamengo em R$ 17 mil por acontecimentos em partida contra o Galo pela Copa do Brasil

Nesta quarta-feira (10), o Flamengo foi julgado pelo STJD pelos fatos ocorridos durante o jogo contra o Atlético-MG, no Maracanã, pela Copa do Brasil. Como resultado, o clube foi punido no total de R$ 17 mil, por ser condenado pelos tumultos que geraram atraso e caos durante a partida. Confira a abaixo:

  • Arremessos de objetos ao gramado: duas multas de R$5 mil
  • Atraso pelos sinalizadores: multa de R$7 mil
  • Tumulto do lado de fora: absolvido

O Flamengo perdeu em duas acusações, porém chegou a ser absolvido em uma. Sendo assim, o clube teve que arcar com a punição referente a objetos jogados ao gramado por parte da torcida, e o atraso do início do confronto devido ao uso de sinalizadores. Todavia, o STJD absolveu o Mais Querido referente ao tumulto do lado de fora do Maracanã.

 

Defesa 

No julgamento, os advogados do clube alegaram que a desordem vista do lado de fora do estádio era para ter sido controlada pela Polícia Militar do Rio de Janeiro. Houve tumulto no acesso de torcedores e o ônibus da delegação do Atlético-MG chegou a ser atingido e ter uma janela quebrada.

Por outro lado, referente ao atraso do início da partida, o Flamengo afirmou que ocorreu por conta dos jatos de fumaça promovidos pelo próprio clube e não pelos sinalizadores na arquibancada.

 

Atlético-MG

O advogado do adversário não concordou com a defesa Rubro-Negra referente ao tumulto fora do estádio. Desse modo, Theotonio Chermont, rebateu a defesa do Mais Querido em colocar a culpa no Estado. Além disso, o representante do Galo ainda pediu que o Flamengo fosse punido com perda de mando de campo.

“A responsabilidade do clube é evidente. Me posiciono aqui contra o depoimento da testemunha, que nada esclareceu. Querer jogar a culpa no poder público não é correto. O clube sabendo que era um jogo da Copa do Brasil, com essa rivalidade histórica, tinha que criar um esquema melhor de segurança. Espero que não se amenize o fato e que não esperem que alguém morra ou fique cego por apedrejamentos”, disse o advogado.

Flamengo 

Por fim, o advogado Rubro-Negro repreendeu o companheiro e declarou que não cabe ao Atlético-MG pedir determinada punição.

“Pelo o que o Atlético está falando, parece que o clube encontrou um inferno lá. Inferno foi dentro de campo. Essa rivalidade vem da parte do Atlético-MG, com a sua diretoria e as declarações após a entrevista do Gabigol. A procuradoria não pediu perda do mando pelo apedrejamento, pediu pelo atraso feito pela fumaça dos supostos sinalizadores. Não cabe a parte interessada pedir perda do mando por outra coisa”, disse Michel Assef Filho.


Fonte: Diário do Fla