Início Notícias Análise Tática Corinthians x Flamengo: Manter a intensidade e organização para dar...

Análise Tática Corinthians x Flamengo: Manter a intensidade e organização para dar o primeiro passo em busca da classificação

'Se não for campeão brasileiro, mas eliminar Galo e Corinthians, Dorival estará nos braços da torcida', diz comentarista
Foto: Marcelo Cortes/CRF

O Flamengo enfrenta o Corinthians nesta quarta-feira (02/08), às 21h30, em Itaquera, pela ida das quartas de final da Libertadores. O Mais Querido terá à disposição o time praticamente ideal para o confronto. Assim, equipe precisa manter a organização, movimentação e intensidade dos confrontos recentes para dar o primeiro passo em busca da classificação.

Para o confronto, Dorival Júnior não terá Rodrigo Caio e Bruno Henrique, lesionados, além dos recentes reforços Erick Pulgar e Guillermo Varela. Entretanto, o treinador vai ter o time que vem sendo considerado titular desde a lesão do zagueiro e do atacante. Além disso, pela primeira vez na Libertadores, Vidal e Cebolinha estarão no banco.

Dessa forma, o Flamengo deve atuar em uma espécie de 4-1-2-1-2. Na primeira linha, Rodinei e Filipe Luís ficam nas laterais, com David Luiz na zaga pela direita e Léo Pereira na esquerda. No meio de campo, uma espécie de losango, com Thiago Maia de primeiro volante mais recuado, dando sustentação defensiva e auxiliando na saída.

Na frente dele, Everton Ribeiro fica por dentro mais à direita, com João Gomes à esquerda. Já na outra ponta do losango, Arrascaeta atua solto, como um “camisa 10”, logo atrás dos atacantes, podendo se movimentar. Já a dupla de ataque é formada por Pedro, que fica mais fixo próximo da área, com o intuito de prender os zagueiros adversários e fazer o pivô.

Gabigol, por sua vez, tem liberdade para se movimentar bastante. O camisa 9 cai bastante pelo lado direito, recua muitas vezes como um meia e, claro, pisa constantemente na área, justamente para aproveitar o buraco na defesa adversária que Pedro abre. A movimentação, inclusive, é uma palavra chave nesse time de Dorival Júnior.

Por mais que haja um desenho tático claro, a equipe tem como característica jogadores que se movimentam bastante e alternam de posição. Ou seja, muitas vezes Everton Ribeiro adianta e Gabigol, ou o camisa 7 abre e Rodinei avança em velocidade por dentro, Pedro sai da área para fazer o pivô e Arrascaeta infiltra…

Essa movimentação sincronizada é fundamental para tentar desmontar a defesa adversária, que deve ficar bem postada na partida de hoje. Além disso, time precisa manter a intensidade que vem apresentando, com e sem a bola. Se tendo a posse a equipe precisa se movimentar, sem ela tem que pressionar o adversário já no campo de ataque, para recuperar o quanto antes.

Dorival Júnior tem também ótimas opções no banco. Vidal pode ser uma opção no segundo tempo como um jogador com pegada na defesa e muita técnica na frente. Já Cebolinha dá ao técnico velocidade e drible pelo lado, que pode ser muito útil em contra-ataques, caso o Corinthians tente pressionar, e também para quebrar a marcação postada.

Ou seja, qualidade não falta para o Flamengo. Para vencer, então, o time tem que manter a intensidade com e sem a bola. No ataque, troca de passes rápidos, movimentação e, claro, precisa aproveitar as chances criadas. Já na defesa, equipe deve manter a compactação, sem deixar espaços entre as linhas, e pressionar o adversário assim que perder a posse. Caso faça isso, tem tudo para ter uma grande atuação.

Fonte: Diário do Fla