Início Notícias Reforços vão ter que suar pra conseguir vaga no Flamengo

Reforços vão ter que suar pra conseguir vaga no Flamengo

Pedro, Everton Ribeiro e Thiago Maia comemorando gol do Flamengo – Foto: Marcelo Cortes

BLOG DO RODRIGO COUTINHO: O Rubro-Negro trouxe Everton Cebolinha e Vidal. Tem a contratação de Walace bem encaminhada e promete mais nomes além destes. Muitas simulações de ”times-base” têm sido feitas com a presença dos novos jogadores, mas a ótima atuação diante do frágil Juventude reforçou a sensação de que é preciso ter calma. O time tem evoluído e ganho conjunto com as peças que já estavam disponíveis antes.

Dorival Junior voltou a escalar o seu time ideal deste momento. O 4-3-1-2 com Gabigol e Pedro como dupla de ataque. Everton Cebolinha ficou no banco de reservas. Já Umberto Louzer contou com o retorno do volante Yuri. Jean saiu do time. O restante da equipe foi mantido, inclusive o lateral Paulo Henrique como ponta pela direita.

Deu pena do Juventude no 1º tempo! O Flamengo entrou disposto a mostrar na prática a diferença entre o elenco mais caro do país e o lanterna do Brasileirão. E conseguiu! Com foco, intensidade e organização, varreu o time gaúcho em poucos minutos, e se deu ao luxo de reduzir o ritmo na segunda metade da etapa inicial. Antes dos 20′ já vencia por 3×0, e logo depois passou a ter um homem a mais em campo.

Novamente o lado direito foi o protagonista. Os três gols saíram no setor. Rodinei voou e tomou boas decisões o tempo inteiro. Everton Ribeiro desfilou o seu talento com total liberdade de movimentação e entrosamento com o lateral. Arrascaeta se aproximou e deu o toque de genialidade. E Gabigol alternou movimentos de ataque à profundidade e apoios para tabelas, inclusive procurando Pedro na sequência.

O centroavante confirmou sua fase goleadora marcando os dois primeiros em jogadas bem trabalhadas seguidas de cruzamentos perfeitos. Arrascaeta e Everton Ribeiro foram os garçons. O camisa 7 marcou o terceiro, também de cabeça, aproveitando belo passe de Gabigol. O Juventude não conseguia encontrar o tempo de marcação. Tinha coberturas distantes no setor e passividade na abordagem ao homem da bola.

Perdeu confiança e errou muitas saídas. Alguns destes equívocos foram provocados por organizadas pressões feitas pelo Flamengo. João Gomes e Thiago Maia encurtavam qualquer espaço que poderia surgir no meio. A linha defensiva mostrava-se sóbria. Quem perdeu a cabeça foi o volante Jadson, que deu um pontapé sem bola em Gabigol e ainda agrediu o atacante na sequência. Foi expulso!

Dorival Junior aproveitou para sacar no intervalo os dois titulares que haviam iniciado contra o Coritiba, no final de semana. Pedro e João Gomes saíram para as entradas de Everton e Vitinho. O 4-3-1-2 foi mantido, Arrascaeta foi recuado e Vitinho jogou mais perto de Everton e Gabigol. No Juventude, que já tinha feito duas mexidas na 1ª etapa, Pitta entrou no lugar de Ricardo Bueno.

O 2º tempo foi uma espécie de treino de luxo do Flamengo. O Juventude não teve forças para impor dificuldades e o rubro-negro só não construiu um placar ainda mais elástico por certo preciosismo nas conclusões e no último passe. O time passou a jogar mais pela esquerda com a entrada de Everton Cebolinha e a fixação de Gabigol na área. Os dois perderam boas chances, assim como Vitinho e Everton Ribeiro.

Victor Hugo, Lázaro e Matheus França entraram no fim e mantiveram o ritmo alto da equipe. O camisa 13 marcou o quarto aos 41′, aproveitando cruzamento de Everton Cebolinha. Rafael Forster ainda salvou um gol certo do ex-atacante do Grêmio em cima da linha. Com a goleada, o rubro-negro passou a ter um saldo de gols melhor e apenas uma vitória a menos que o líder Palmeiras.