Início Notícias Flamengo é líder em torcida tanto em capital, quanto no interior

Flamengo é líder em torcida tanto em capital, quanto no interior

Torcida do Flamengo no Mineirão – Foto: Divulgação

O GLOBO: A pesquisa O GLOBO/Ipec que mediu o tamanho das torcidas dos times brasileiros indicou diferenças na preferência de moradores das capitais e dos municípios do interior. Enquanto os clubes cariocas aumentam de tamanho no primeiro grupo, os paulistas têm proporcionalmente maior presença no segundo. Nas grandes cidades, embora não mude a relação dos cinco clubes numericamente com mais torcedores no país – Flamengo, Corinthians, São Paulo, Palmeiras e Vasco –, dois times do Nordeste passam a figurar à frente de outras torcidas do Sul e Sudeste, segundo a pesquisa.

O Ipec entrevistou 2 mil pessoas de forma presencial em 128 municípios de todo o país, entre os dias 1º e 5 de julho. A cada quatro pessoas entrevistadas, uma era moradora de alguma capital. Os entrevistados que moram no interior foram pouco mais de 60%. Também foram ouvidas pessoas que moram nas regiões metropolitanas e em municípios nos arredores das capitais. Cerca de 30% dos torcedores contabilizados pela pesquisa vivem em cidades com mais de 500 mil habitantes.

Nas capitais, enquanto Flamengo, Vasco, Botafogo e Fluminense atingiram percentuais de torcida acima de suas médias gerais, Corinthians, São Paulo e Palmeiras “encolheram” proporcionalmente. O Santos, localizado na Baixada Santista, região que faz parte da megalópole de São Paulo, também tem maior presença fora das capitais.

O Flamengo tem 23,8% de citações como time preferido pelos entrevistados em capitais brasileiras, dez pontos percentuais à frente do Corinthians, segundo colocado com 13,1%. Os números consideram o total de vezes em que os clubes foram citados pelos entrevistados, seja como primeira ou segunda opção.

São Paulo e Palmeiras, ambos com 7,1% nas capitais, superam o Vasco, quinto colocado com 4,8%. Por se tratar de um recorte regional da pesquisa, segundo o Ipec, os valores neste caso devem ser considerados apenas numericamente. Para assegurar que um clube está à frente de outro em um grupo específico, é necessária uma distância de no mínimo 5%, segundo o instituto.

O Botafogo, que tem 1,3% das menções no quadro geral, sobe para 2% quando consideradas apenas as capitais. Já o Fluminense, com 1,1% no quadro geral, fica no mesmo patamar nas capitais.

São Paulo e Rio são as duas cidades mais populosas do Brasil, respectivamente com 12,3 milhões e 6,7 milhões de habitantes no ano passado, segundo o IBGE. Os dados de população explicam apenas em parte a composição das torcidas de cariocas e paulistas. Os clubes do Rio, de acordo com a pesquisa, têm seus torcedores relativamente mais distribuídos por outras regiões do país do que os clubes de São Paulo, o que ajuda a entender por que veem sua presença aumentar no conjunto das capitais.

A capital paulista, por sua vez, é o mais tradicional polo de migração interna do Brasil desde o século XIX. É esperado, portanto, que as torcidas de Corinthians, São Paulo e Palmeiras fiquem proporcionalmente mais diluídas entre torcedores de outros times na cidade.

Já o peso populacional do interior paulista, na comparação com outros estados, é um dos possíveis motivos para a maior presença de torcida dos times de São Paulo nesse grupo de cidades. O Corinthians, por exemplo, chega a 16,3% no interior. O Palmeiras alcança 7,9%. O São Paulo, com 8,6% no interior, não chega a superar seu patamar geral (8,2%), mas fica acima do desempenho nas capitais.

O Vasco também registra no interior, com 4,1%, percentual semelhante ao que tem no quadro geral, de 4,2%. O Botafogo, por sua vez, oscila negativamente, para 1%.

Mesmo com o salto paulista no interior, o Flamengo aparece numericamente como maior torcida nesse grupo de municípios, com percentual similar ao das capitais: 22,2%.

Outra mudança registrada pelas capitais na correlação das torcidas é a maior força de clubes como Bahia e Fortaleza, que superam nesse grupo de cidades times como Grêmio, Internacional, Cruzeiro e Atlético-MG. Todos esses clubes, diferentemente dos cariocas e paulistas, têm suas torcidas concentradas nas respectivas regiões.

Salvador e Fortaleza são, de acordo com o IBGE, a quarta e quinta cidades mais populosas do país, com quase 3 milhões de habitantes cada. Belo Horizonte, com 2,5 milhões, e Porto Alegre, com 1,5 milhões, ficam mais atrás. Os dados ajudam a explicar por que, entre as capitais brasileiras, o Bahia aparece com a sexta maior torcida, com 3,8% das menções. O Fortaleza chega a 2,4%, percentual similar ao de Grêmio e Cruzeiro, ambos com 2,6% nas capitais.