Início Notícias Marcos Braz repete frase de Gabigol e critica choro do Atlético

Marcos Braz repete frase de Gabigol e critica choro do Atlético

Marcos Braz – Foto: Alexandre Vidal / Flamengo

COLUNA DO FLA: O Flamengo perdeu para o Corinthians neste domingo (10), por 1 a 0, na Neo Química Arena, em São Paulo. Após o duelo, o vice-presidente de futebol do Fla, Marcos Braz, comentou durante entrevista coletiva sobre o próximo duelo do Mais Querido, contra o Atlético-MG, na quarta-feira (13), pela Copa do Brasil. O dirigente afirmou que o futebol está chato e que o Maracanã “vai ser um inferno”.

“Eu tenho absoluta certeza que (o time) vai chegar com muita tranquilidade, o time é muito experiente. Alguns jogadores que poderiam ter vindo para cá não vieram por um resguardo maior para o jogo de quarta-feira. E é aquilo, Maracanã vai estar lotado, uma grande festa. E vai ser um inferno. Essa que é a verdade”, disse. “Mas quando a gente fala isso não é em relação a ter nenhum tipo de problema é em relação ao empenho, ao Flamengo querer ganhar, raça dos jogadores e força da torcida do lado de fora, empurrando mais do que nunca. O futebol está ficando muito chato, qualquer declaração é polêmica. A gente tem que começar a humanizar mais ainda. Isso é bom para os jornalistas. Mas lá vai ser um inferno”, explicou.

Marcos Braz se referiu ao termo utilizado por Gabigol após a derrota no jogo de ida pela Copa do Brasil, contra o Atlético-MG. Na ocasião, o atacante disse que o clube mineiro iria “conhecer o inferno” no Maracanã, palco do duelo de volta pelas oitavas de final, que acontece na próxima quarta-feira (13).

A declaração, inclusive, virou caso de Justiça. O Atlético-MG acionou o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) e solicitou uma punição ao atacante rubro-negro. De acordo com o clube mineiro, o camisa 9 da Gávea incitou a violência e teve uma atitude contrária à disciplina e à ética desportiva.

No pedido de punição a Gabigol, o Atlético-MG destacou duas leis do Código Brasileiro de Justiça Desportiva em que o atacante do Flamengo pode ser enquadrado. O primeiro está relacionado ao Artigo 243-D, onde é proibido incitar o ódio ou a violência publicamente, podendo cumprir suspensão de 360 a 720 dias. O segundo, por sua vez, é sobre apresentar uma postura contrária à disciplina ou à ética desportiva, com pena de um a seis jogos.

No entanto, na última sexta-feira (08), o STJD não concordou com as acusações e decidiu arquivar a denúncia do Atlético-MG, que não gostou do julgamento final do assunto. Em relação a partida, a expectativa é de que o Maracanã tenha casa cheia, com fumça, mosaico e fogos preparados pela torcida.

Flamengo e Atlético-MG se enfrentam na próxima quarta-feira (13), pelo jogo de volta das oitavas de final da Copa do Brasil. A partida será no Maracanã, às 21h30 (horário de Brasília). Por ter perdido a ida por 2 a 1, o Rubro-Negro precisará vencer por dois ou mais gols de diferença para se classificar. Caso o Mais Querido consiga uma vantagem mínima, a decisão será nos pênaltis.