Início Notícias Michael destaca moral de Renato e faz revelação sobre o Flamengo

Michael destaca moral de Renato e faz revelação sobre o Flamengo

Crédito: Marcelo Cortes / Flamengo

Comprado pelo Al-Hilal por US$ 8,45 milhões (R$ 45,5 milhões na época), Michael viveu uma temporada mágica em seu último ano no Flamengo. Abraçado pelos companheiros após um momento de crise, o atacante revelou que o elenco do clube possui uma grande harmonia dentro e fora de campo. Sendo assim, não existe espaço para preciosismo e indivualismo em campo, algo que interferiu em seu desempenho na equipe.

No momento, como está no Oriente Médio, Michael contou que não está totalmente satisfeito no Al-Hilal. Mesmo com o salário milionário, a rotina na Arábia Saudita é bastante diferente do convívio no Brasil, motivo pelo qual uma volta ao país está em seus planos. Porém, como tem vínculo até 2025, a situação precisaria ser resolvida nos bastidores.

Sabe a virtude do Flamengo? O Gabigol, Bruno Henrique, Arascaeta, Everton Ribeiro, Thiago Maia, Matheuzinho, Rodinei, Filipe Luís, Diego Alves, David Luiz… todo mundo quer tanto ganhar, que fod…-se quem vai fazer o gol. Tinha hora que chegava na cara do gol e rolava, não tinha vaidade, era um ajudando o outro. Tive um ano abençoado, mas eles me fizeram”, disse em entrevista ao canal de Alê Oliveira.

Tem uns jogadores que não gostam de mim, falam que eu sou maluco, mas tenho o carinho de muita gente. Torcedores gostam de mim, só que não sou eu. Não tenho mais a vontade de estar ali. Estou trabalhando porque sou profissional. Sou apenas um cara que faz um trabalho bem feito, mas não sou eu. Tem gente que vai lá na minha caixinha de som e desliga. Se eu estiver estressado e triste, eu não consigo jogar“, completou.

No período em que virou o principal destaque do Flamengo, Michal estava sendo comandado por Renato Gaúcho. Incentivando o atacante, o ex-técnico da equipe procurava demonstrar uma grande confiança, algo que surpreendia até mesmo o atleta.

O Renato me dava moral e confiança que nem eu tinha. Tinha hora que ele vinha falar comigo e eu falava: ‘se o Messi passar hoje (no Flamengo), eu seria melhor que ele’. Tinha hora que eu falava: ‘esse é o Arrascaeta, não sou eu’. Eu estava no melhor momento da minha carreira, eles (jogadores) faziam coisas incríveis por mim, tinham um carinho por mim…”, relatou.

Fonte: Torcedores