Início Notícias Mário Bittencourt critica liberação do Maracanã para o Vasco

Mário Bittencourt critica liberação do Maracanã para o Vasco


Mário Bittencourt, presidente do Fluminense – Foto: Lucas Merçon

ESPN: Mário Bittencourt, presidente do Fluminense, esteve no CT Carlos Castilho, nesta quinta-feira (30). A região tem passado por obras de acesso aos CT’s de treinamento do Tricolor e também do Vasco da Gama, localizados na zona oeste do Rio de Janeiro. Em declarações ao GE, o mandatário falou sobre as recentes disputas judiciais envolvendo pedidos do Cruzmaltino para atuar no Maracanã.

O presidente do Fluminense criticou a postura do rival e disse ser um ‘absurdo’ o fato do Vasco da Gama atuar no gramado do Maracanã, uma vez que o próprio Tricolor, além do Flamengo, será prejudicado e, provavelmente, poderá deixar o estádio em algumas partidas válidas pelo Campeonato Brasileiro.

“Com toda franqueza, eu considero essa decisão concedida ao Vasco, para esse jogo, completamente fora dos limites legais, do contrato e do bom senso. Houve um investimento de R$ 4 milhões para troca do gramado, Flamengo ficou sem jogar jogos importantes no Maracanã, Fluminense ficou sem jogar jogos importantes no Maracanã, da Copa Libertadores, inclusive alugou São Januário para jogar duas vezes lá, na segunda partida foi solicitada nossa retirada”, disse o presidente.

“Agora, eu considero um absurdo, inadmissível, a gente vai ter um prejuízo enorme no gramado por uma decisão que não colocou tudo isso que estou te falando. Nunca Botafogo e Vasco foram proibidos de jogar no Maracanã, mas o contrato de concessão é muito claro, a permissão de uso é muito clara, a prioridade é dos clubes que fazem a gestão do estádio e que têm sua programação para jogar no estádio”.

Mário Bittencourt deixou claro que o consórcio continuará brigando judicialmente para que Flamengo e Fluminense tenham a preferência para atuar no gramado do Maracanã, assim como está previsto no cronograma estabelecido ainda na época da troca da grama no estádio.

“O Fluminense tocou o seu projeto, seu trabalho, e a gente não se incomoda que algo que a gente está fazendo pelo Fluminense acabe em benefício para um rival, um adversário, não somos inimigos. Só lamentamos não sermos vistos, em algumas situações, da mesma forma, mas enfim, é uma questão que está na Justiça, contratual. Se o que está sendo feito aqui hoje for trazer benefícios ao Vasco ou qualquer outro clube, creio que devêssemos ser fora do campo amigos cordiais, e só adversários quando os jogadores entram (em campo). Mas repito, infelizmente algumas pessoas não pensam assim”.

“É um período do ano muito difícil de se manter o gramado. É feito um trabalho muito profissional no Maracanã. A empresa que faz a gestão do gramado foi muito clara, deu um laudo dizendo que dois jogos em sequência nessa época do ano, com a quantidade de jogos que tem, vai destroçar o gramado. Mas infelizmente temos uma decisão liminar nesse momento que determina que o jogo ocorra lá. Podem ter certeza que o gramado ficará bastante prejudicado”, disse o presidente.