Início Notícias Flamengo estuda desistir de licitação do Maracanã

Flamengo estuda desistir de licitação do Maracanã


Mosaico do Flamengo no Maracanã – Foto: Alexandre Vidal

O GLOBO: Por Athos Moura

O Flamengo cogita desistir de participar da licitação do Maracanã. Atual permissionário, ao lado do Fluminense, o clube está descontente com o governo do estado e com os termos já divulgados que constarão no edital que está com o lançamento atrasado. O clube pretende insistir no projeto de ter um estádio próprio.

Apesar de ter boa relação com o governador Cláudio Castro, o clube vem acumulando desentendimentos com a Casa Civil, pasta responsável pela licitação. A última delas foi o posicionamento de que o Maracanã deveria ser liberado ao Vasco para que ele realiza a partida contra o Sport, pela Série B. O clube é contra por ter em mãos um laudo que atesta que haverá danos ao gramado.

Internamente, o Flamengo se preocupa se haverá ingerências como essa no futuro, o que acredita trazer insegurança jurídica. Para além desse fator, a diretoria rubro-negra é contra termos do edital que direcionam para que o Maracanã tenha uma gestão compartilhada entre Flamengo, Fluminense e Vasco.

Termos pré-estabelecidos condicionam os permissionários a realizarem ao menos 70 partidas por ano no estádio. Esse número de jogos já é atendido por Flamengo e Fluminense. E caso o Vasco também passe a gerir o Maracanã, essa quantidade de partidas extrapolaria em muito o recomendado, o que causaria danos ao estádio.

O Flamengo também sustenta que não teve ganhos com o Maracanã durante a pandemia e que o consórcio investiu R$ 10,1 milhões na melhoria do estádio e pagou R$ 8,4 milhões em taxas ao estado.

O Flamengo tem buscado alternativas para construir o seu próprio estádio. Nesta semana, o presidente Rodolfo Landim terá uma reunião com o prefeito Eduardo Paes para tratar sobre uma posição cessão do Parque Olímpico para este fim. Paes retorna de viagem na quarta-feira e o encontro deve ser na quinta ou sexta, por intermédio do deputado Pedro Paulo (PSD).

Os planos do Flamengo é que o estádio tenha em torno de 40 mil lugares, o que supriria a demanda rubro-negra. E que o Maracanã passe a ser opção para jogos que requerem maior público.

Nas próximas semanas Rodolfo Landim deve viajar para encontrar investidores e estudar projetos para a construção do estádio. O Flamengo procura uma solução rápida para que a estrutura — ou ao menos a obra — seja um legado da gestão de Landim e também de Eduardo Paes. Ambos têm mandato até 2024.