Início Notícias Flamengo e Flu já investiram R$ 14,9 milhões no Maracanã

Flamengo e Flu já investiram R$ 14,9 milhões no Maracanã


Entorno do Maracanã em dia de jogo do Flamengo – Foto: Alexandre Vidal

BLOG DO RODRIGO MATTOS: O consórcio do Maracanã, gerido por Flamengo e Fluminense, negou ao Vasco autorização para jogar no estádio diante do Sport pela Série B. A medida foi duramente criticada pela diretoria vascaína em nota em que pede reconsideração da decisão. Os motivos para a recusa da dupla Fla-Flu são por conta do gramado: entende que a prioridade tem que se de seus jogos já que bancam o estádio.

Flamengo e Fluminense já administram o Maracanã há três anos em uma concessão provisória feita pelo governo do Estado do Rio de Janeiro, após romper com a Odebrecht. Na época, o Vasco reclamou, mas não apresentou proposta. Autoridades públicas fizeram o edital para uma licitação definitiva, que induz a ter três clubes no estádio, mas o processo está parado.

Em sua gestão provisória, o consórcio de Fla-Flu passou a gerar renda com o próprio estádio para pagar investimentos e manutenção. As principais receitas são camarotes, exclusividade de venda de bebidas e comidas e patrocínios. Tudo isso é, obviamente, lastreado na realização dos jogos dos dois no estádio.

Com o dinheiro, gastaram R$ 14,9 milhões em investimentos. Desse total, foi R$ 1 milhão para a parte elétrica, R$ 1,5 milhão para reparos na cobertura, R$ 8,4 milhões para pagamento de outorga do Estado, e R$ 4 milhões para o novo gramado. O novo campo foi instalado no início do ano com tecnologia similar ao da Neo Química Arena, embora com grama diferente.

O gramado é justamente o que leva ao veto pelo consórcio do jogo vo Vasco. Quando o clube vascaíno pediu a partida, a empresa Greenleaf, que cuida do gramado, enviou um relatório ao consórcio manifestando preocupação com o excesso de jogos. Há uma previsão de nove partidas em julho para o Maracanã.

No documento, obtido pelo blog, a empresa aponta que o ideal seria que houvesse um jogo por semana e que, na temporada toda, não ultrapasse de 50 partidas. (Detalhe que a licitação do governo prevê 70 jogos no mínimo no estádio). A Greenleaf completa que o estádio já recebe dois times média de duas partidas por semana, e mais de 50 confrontos por ano.

A empresa acrescenta que, na semana anterior, houve um jogo no sábado à noite e outro no domingo à tarde. Na visão da Greenleaf, isso prejudica o campo por não ter descanso e não ter “um intervalo mínimo aceitável de 3 dias”.

O jogo do Vasco ocorreria no dia seguinte a outra partida. Em sua nota, o clube aponta que esse tipo de intervalo já ocorreu em outras situações, em jogos seguidos de Flamengo e Fluminense, o que é verdadeiro.

Mas o relatório da Greenleaf aponta que o problema se agrava no inverno porque a grama entra “num estado de quase dormência”, com seu crescimento praticamente paralisado devido as baixas temperaturas”. O Maracanã ainda tem um problema de iluminação nas partes oeste e norte por falta de luz natural, resultado do posicionamento da cobertura na construção.

Outros problemas apontados são o excesso de pessoas no gramado e os aquecimentos longos dos times no campo.

“Posto isso, desaconselhamos o aumento da carga de jogos no estádio nesta época do ano, sob pena do gramado entrar em colapso antes do término da tmeporada, o que poderia ocasionar a suspensão temporária da utilização do campo para intervenções corretivas”, completa o relatório da empresa.

No entendimento do consórcio, neste cenário, os jogos de Flamengo e Fluminense têm que ser priorizados já que são os dois clubes que garantem a manutenção do estádio, enquanto o Vasco não participa da gestão. Já a diretoria vascaína argumenta que deve ter as mesmas condições dos outros clubes pelas regras da concessão. O consórcio, no entanto, argumenta que a concessão mudou em sua renovação e, agora, os clubes têm direito de negar jogos.

Veja, abaixo, a nota do Vasco:
“O Club de Regatas Vasco da Gama informa que entrou esta tarde com um pedido de reconsideração ao Consórcio Maracanã, após negativa para realizar seu jogo diante do Sport Club do Recife, no próximo dia 3 de Julho, no Maracanã. O clube entende serem injustificadas as alegações do Consórcio para não permitir a presença do Vasco e sua torcida no maior estádio do Rio de Janeiro, em um jogo com alta demanda de público, marcado para um domingo às 16h, e espera que o Consórcio reveja a sua posição.

Em suas alegações, o Consórcio diz que já há um jogo marcado menos de 24 horas antes do jogo do Vasco entre Fluminense x Corinthians (02/07/2022 às 16:30h) e que “com intervalo de menos de 24 horas entre os jogos, inviabiliza o cumprimento do prazo mínimo recomendado para a manutenção da qualidade do gramado”.

Essa “regra” aparentemente só foi criada para justificar a negativa para a realização da partida do Vasco da Gama contra o Sport no Maracanã. Em breve levantamento feito pelo clube, constatou-se que o fato é recorrente no Maracanã, principalmente em jogos envolvendo o CR Flamengo ou o Fluminense FC, inclusive na atual temporada do Campeonato Brasileiro. Em um período de 11 a 17 de outubro do ano 2020 chegaram a acontecer quatro jogos em apenas sete dias. Essa justificativa não pode ser aceita como razoável. O cerceamento do direito do Vasco da Gama de atuar no Maracanã configura, mais uma vez, a falta de igualdade de condições para utilização do estádio pelos grandes clubes do Rio de Janeiro, o que fere diretamente o disposto no termo precário de permissão de uso firmado com o Governo do Estado.

Em outra justificativa infundada para recusar o jogo do Vasco, o Consórcio declara que “já havia um cronograma de jogos no estádio do Maracanã no mês de julho de 2022, que prevê a realização de, no mínimo 08 (oito) partidas de futebol no referido mês, podendo chegar a 10 (dez) partidas, dependendo do desempenho de CR Flamengo e Fluminense FC na Copa do Brasil”. A verdade é que, pelo atual calendário oficial da CBF e Conmebol, se CR Flamengo e Fluminense FC de fato avançarem na Copa do Brasil, o número máximo de jogos no mês de julho no Maracanã somente chegaria a 9 (nove) partidas. Dessa forma não haveria nenhum impedimento para a realização da partida CR Vasco da Gama x Sport Clube do Recife no dia 3/7/2002, que seria a 10ª partida prevista pelo Consórcio para o mês de julho.

Em sua resposta negativa o Consórcio também alega que o Vasco solicitou a disponibilidade do estádio muito próxima da data do jogo, o que não é verídico já que a consulta foi feita com 18 dias de antecedência, no dia 15 de Junho.

Levando em consideração a importância do jogo (segundo contra o quinto colocado da série B, em disputa direta pelo acesso a Série A), no sucesso de público que foi o jogo Vasco x Cruzeiro (inclusive com caravanas e excursões de torcedores vindas de todas as regiões do país), movimentando a economia, gerando receita e renda para empreendedores individuais e para o Estado, o Vasco da Gama repudia a tentativa de impedir que um maior número de seus torcedores possam acompanhar o clube com a utilização de um equipamento público que capacidade três vezes maior que o estádio de São Januário e fica no aguardo de nova manifestação do Consórcio Maracanã.

Segue o levantamento feito dos jogos seguidos no Maracanã nos últimos três anos.

Ano 2020:
Vasco 0 x 1 Flamengo – quarta-feira – 22 de janeiro – 21h
Fluminense 2 x 0 Portuguesa – quinta-feira – 23 de janeiro – 20h

Resende 1 x 3 Flamengo – segunda – 3 de fevereiro – 20h
Fluminense 1 x 1 Union La Calera – terça-feira – 4 de fevereiro – 21h30

Flamengo 2 x 0 Madureira – sábado – 8 de fevereiro – 16h
Fluminense 3 x 0 Botafogo – domingo – 9 de fevereiro – 16h

Fluminense 2 x 0 Botafogo/PB – quarta-feira – 4 de março – 19h15
Vasco 1 x 0 ABC – quinta-feira – 5 de março – 21h30

Flamengo 3 x 0 Botafogo – sábado – 7 de março – 18h
Fluminense 4 x 0 Resende – domingo – 8 de março – 18h

Flamengo 2 x 1 Portuguesa – sábado – 14 de março – 18h
Vasco 0 x 2 Fluminense – domingo – 15 de março – 18h

Fluminense 1 x 0 Bahia – 11 de outubro (domingo) – 16h
Flamengo 2 x 1 Goiás – 13 de outubro (terça-feira) – 18h
Flamengo 1 x 1 Bragantino – 15 de outubro (quinta-feira) – 20h
Fluminense 2 x 2 Ceará – 17 de outubro (sábado) – 19h

Ano 2021:
Macaé 0 x 2 Flamengo – 6 de março (Sábado) – 18h
Fluminense 0 x 3 Portuguesa – 7 de março (Domingo) – 16h

Flamengo 4 x 1 Volta Redonda – 24 de abril (sábado) – 19h
Fluminense 4 x 1 Madureira – 25 de abril (domingo) – 11h

Flamengo 4 x 1 Volta Redonda – 08 de maio (sábado), 21h05
Fluminense 2 x 1 Portuguesa – 09 de maio (domingo) – 16h

Fluminense 1 x 2 Junior Barranquila – 18 de maio (terça-feira) – 21h30
Flamengo 2 x 2 LDU – 19 de maio (quarta-feira) – 21h

Flamengo 2 x 0 Coritiba – 16 de junho (quarta) – 21h30
Fluminense 1 x 0 Santos – 17 de junho (quinta-feira) – 19h

Brasil 0 x 1 Argentina – 10 de julho (sábado) – 21h
Flamengo 2 x 1 Chapecoense – 11 de julho (domingo) – 18h15

Ano: 2022
Fluminense 3 x 2 Vila Nova/GO – 19 de abril (terça-feira) – 21h30
Flamengo 0 x 0 Palmeiras – 20 de abril (quarta-feira) – 19h30

Fluminense 0 x 2 Atlético Goianiense – 11 de junho (sábado) – 19h
Vasco 1 x 0 Cruzeiro – 12 de junho (domingo) – 16h”