Início Notícias Dorival Júnior comenta sensação de retornar ao Maracanã: ‘Sensação indescritível’

Dorival Júnior comenta sensação de retornar ao Maracanã: ‘Sensação indescritível’

Foto: Reprodução

O Flamengo venceu o Cuiabá nesta noite de quarta-feira na estreia de Dorival Júnior sob o comando da equipe, no Maracanã. Desse modo, o treinador comentou sobre o sentimento de estar ao lado da Nação Rubro-Negra mais uma vez no templo do futebol brasileiro em coletiva de imprensa após a vitória.

 

“Só estando ali na frente para entender o que é estar a favor e contra a esta torcida. É uma sensação indescritível e fico muito feliz em poder está voltando aqui pela terceira vez. Espero poder nesse retorno, poder completar esse ciclo no qual nunca tirei da minha cabeça. Sempre tive comigo a certeza de que voltaria ao Flamengo”, disse o treinador.

Além disso, o técnico também abordou questões táticas e físicas com os repórteres. Vale destacar que no confronto, Bruno Henrique e David Luiz saíram de campo, ainda no primeiro tempo, por problemas físicos.

 

Titularidades

“Primeiro, nós temos que repensar essa questão da titularidade. O que eu vejo, é que teremos uma sequência de competitividade muito difícil, e com isso, é preciso ter um grupo que dê uma resposta. Em algum momento, dois, três até quatro jogadores poderão e deverão ser trocados. Precisamos ter um grupo focado e concentrado em que estamos trabalhando aqui no clube”.

Goleiros 

“Temos três ótimos goleiros, além dos garotos da base, que estão sendo preparados. A qualquer instante poderemos ter um ou outro atleta jogando. Fiz isso nas últimas equipes em que estive e acho que esse tipo de convivência é necessária. O titular vai ser o que no momento estiver nas melhores condições físicas e táticas, principalmente referente ao jogadores de linha”.

Sistema de jogo 

“O sistema ainda está em um esboço e não é engessado. Ou seja, não que dizer que sempre iremos jogar em um 4-3-3. Tenho jogador de mobilidade e de aproximação, meus jogadores não podem ficar estáticos. A obrigação do treinador é fazer com que a sua equipe chegue até o último terço do campo. A partir daí é com os jogadores, é um improviso, uma troca de passes, as triangulações, é isto que faz a diferença em uma equipe”.

 

Calendário e desgaste físico 

“A forma como ficou os campeonatos esse ano, machuca muito os clubes nesse sentindo. Leões vão acontecer a todo momento e a todo estante. Agora mesmo, quando estava no Ceará, cheguei a ter dez jogadores no Departamento Médico. O desgaste é muito grande, essa quantidade de partida não nos favorece, sempre vamos ter problemas médicos e físicos com essa sequência absurda de jogos. Sabemos que é assim e não temos outro caminho. Felizmente o Flamengo proporciona uma ótima recuperação para nossos jogadores”.

Fonte: Diário do Fla