Início Notícias Análise Tática Flamengo x Cuiabá: Volta de Arrascaeta e busca por reação

Análise Tática Flamengo x Cuiabá: Volta de Arrascaeta e busca por reação

Foto: Gilvan de Souza/Flamengo

O Flamengo enfrenta o Cuiabá nesta quarta-feira (15/06), às 20h30, no Maracanã, pela 12ª rodada do Campeonato Brasileiro. O Mais Querido vem de três derrotas consecutivas e está em 16º na competição. Por isso, precisa vencer de qualquer forma para buscar a reação no torneio. Para isso, a equipe conta com a volta de Arrascaeta.

Para o confronto, o técnico Dorival Jr, que fez os dois primeiros treinos com o elenco nesta semana, não terá cinco jogadores à disposição: Santos, Fabrício Bruno e Matheus França, em processo de transição física, Marinho, suspenso, e Rodrigo Caio, poupado. Assim, o treinador deve botar o time em uma mescla de 4-2-3-1 e 4-1-4-1.

A tendência é que a equipe titular tenha Diego Alves no gol, com Matheuzinho e Ayrton Lucas nas laterais e a dupla de zaga formada por Pablo e David Luiz. Os volantes serão João Gomes e Andreas Pereira, com Everton Ribeiro na meia-direita, Arrascaeta centralizado e Bruno Henrique aberto na esquerda, tendo Gabigol de referência.

Dessa forma, a ideia é ter dois laterais mais jovens, que avancem constantemente para a linha de fundo, explorando os corredores. Os espaços pelos lados surgem justamente porque Everton Ribeiro, na direita, tem o costume de cortar para dentro, para construir com a canhota, enquanto Bruno Henrique, na esquerda, centraliza para pisar na área.

O meio com João Gomes passa a ter mais dinâmica do que com Arão ou Thiago Maia, pois o jovem corre mais tanto na marcação, como para aparecer de elemento surpresa na frente. Já Andreas Pereira tem um papel importante de fazer a transição, ditando o ritmo da partida e muitas vezes adiantando na linha dos meias (indo para o 4-1-4-1).

Já Arrascaeta é o responsável pela qualidade no terço final do campo. Centralizado, o uruguaio passa a ter liberdade para receber a bola próximo da área, caindo tanto pelo lado esquerdo, como o direito. Além disso, infiltra muito para poder fazer os gols, ou finaliza de fora, se tiver espaço.

O time, então, tem muita qualidade. Dorival ainda tem a opção de botar no segundo tempo jogadores como Vitinho e Lázaro, que podem atuar pelos lados ou centralizado no meio, ou Pedro, um centroavante mais de área, que faz o pivô e deixa Gabigol ainda mais solto. Caso a equipe jogue focada, intensa, com passes rápidos e movimentação, tem tudo para fazer um grande jogo.

Fonte: Diário do Fla