Início Notícias Flamengo pós Jorge Jesus tem rodízio de técnicos e dificuldade de criar...

Flamengo pós Jorge Jesus tem rodízio de técnicos e dificuldade de criar uma identidade em campo

O Flamengo anunciou a saída de Paulo Sousa nesta quinta-feira (9) e, até o momento do anúncio, o assunto deu o que falar no mundo do futebol brasileiro. Após a derrota contra o Bragantino, em Bragança Paulista, por por 1 a 0, a pressão em cima do técnico português duplicou e sua saída foi dada como certa ainda na madrugada.

Entretanto, não houve pronunciamento oficial do Clube até as 18h desta quinta, e as possibilidades de como a diretoria do Rubro-Negro conduziria a rescisão tomaram conta da internet: quem é o próximo técnico? Paulo Sousa ainda conduzirá o time na partida contra o Iternacional? A decisão deveria ter sido tomada antes, quando Jorge Jesus estava livre no mercado?



As férias de Jorge Jesus no Brasil movimentaram os bastidores flamenguistas com as declarações do ex-técnico rubro-negro. Muito pedido pela arquibancada, o português multicampeão pelo Mais Querido deixou um legado difícil de ser alcançado pelos seus sucessores, que não permaneceram por muito tempo no comando do time carioca.

Com Jorge Jesus, o Flamengo venceu: Copa Libertadores da América de 2019, Campeonato Brasileiro 2019, Supercopa do Brasil de 2020, Taça Guanabara de 2020, Recopa Sul-Americana de 2020 e o Campeonato Carioca de 2020. Foi justamente após a conquista do título estadual, no dia 17 de julho de 2020, que o Mister comunicou seu retorno à Portugal.



Desde então, o Rubro-Negro foi comandado por Domènec Torrent, o interino Maurício Souza, Rogério Ceni, Renato Gaúcho e Paulo Sousa. Foram, ao todo, cinco técnicos em um ano e onze meses, três títulos e quatro vice-lideranças. Do outro lado, JJ não teve o mesmo sucesso na Europa e deixou o Benfica em 2021. Enquanto um novo técnico não é anunciado, confira o retrospecto do Flamengo pós-Mister.

Domènec Torrent: anunciado em (0), Dome teve exatos três meses de comando. Ao todo, foram 23 jogos com 13 vitórias, 4 empates, 6 derrotas. O treinador deixou o Clube com 62,3% de aproveitamento, 38 gols marcados, 36 gols sofridos, classificação na Libertadores e Copa do Brasil, além do 3° lugar no Brasileiro.



Rogério Ceni: o ex-goleiro foi o último treinador a conquistar títulos à frente da Equipe. Ceni assumiu o Ninho do Urubu em 10 de novembro de 2020 e ficou oito meses no comando. Durante a jornada, foram 45 jogos onde somou 23 vitórias, 11 empates e 11 derrotas, tendo um aproveitamento de 59,3%. Foi campeão brasileiro, da Supercopa do Brasil e do Campeonato Carioca.

Fernando Alves/AGIF. Rogério Ceni foi o último técnico a vencer títulos no Flamengo

Renato Gaúcho: o treinador chegou logo após a demissão de Rogério Ceni, em julho de 2021. O início avassalador deixou o Flamengo brigando pelo tricampeonato do Brasileirão e acabou acumulando decepções por parte da torcida, principalmente após a eliminação na Copa do Brasil pelo Athletico-PR. Em pouco mais de 4 meses foram 38 jogos, com 25 vitórias, 8 empates e 5 derrotas. O aproveitamento foi de 72,8%.

Ver essa foto no Instagram

Uma publicação compartilhada por Renato Portaluppi (@renatogaucho)



Paulo Sousa: o português deixou o comando da seleção polonesa para assumir o Flamengo em dezembro de 2021 e sua demissão foi decretada em 6 de junho de 2022, mas prevista pela imprensa e torcedores muitos meses antes. Possivelmente o técnico mais contestado no Flamengo, P.S deixou o Rubro-Negro com 64,5% de aproveitamento em 31 jogos, 18 vitórias, 6 empates 7 derrotas e algumas polêmicas nos bastidores.



Fonte: Bolavip