Análise Tática Flamengo 3 x 1 São Paulo: Time compacto e melhor atuação na temporada

(Foto: Reprodução/Flamengo)

O Flamengo venceu o São Paulo por 3 a 1, neste domingo de Páscoa (17/04), pela segunda rodada do Campeonato Brasileiro. A vitória contra o forte adversário foi muito importante para acalmar o momento turbulento que o Mais Querido estava passando. Mas, o principal do jogo foi a atuação. A equipe rubro-negra teve o melhor desempenho na temporada até aqui e conseguiu atuar de forma compacta, corrigindo o problema dos espaços entre as linhas.

O Mais Querido teve oito desfalques para a partida, sendo quatro zagueiros: Fabrício Bruno, Pablo, Rodrigo Caio e Gustavo Henrique, além de Matheuzinho, Ayrton Lucas, Vitinho e Bruno Henrique. A estrutura tática, entretanto, permaneceu a mesmo, em um 3-4-2-1 com a bola e 4-4-2 sem ela. Na primeira linha, Arão atuou pela direita, David Luiz central e Filipe Luís na esquerda.

Sem Matheuzinho, Rodinei fez a ala-direita, enquanto Lázaro assumiu a vaga de Bruno Henrique na esquerda. A dupla de volantes permaneceu sendo João Gomes e Thiago Maia, enquanto Arrascaeta, Everton Ribeiro e Gabigol fizeram novamente o trio ofensivo, com o camisa 9 como referência, ER7 por dentro pela direita e o uruguaio à esquerda, sempre com muita movimentação.

O primeiro tempo foi de ótimo futebol do Mais Querido, talvez o melhor da temporada até aqui. Isso porque, o time conseguiu atuar de forma muito compacta, seja nos momentos que marcava em cima, ou quando recuava para o campo defensivo, com todos os jogadores marcando, sem deixar espaços entre as linhas. Dessa forma, a equipe neutralizou o São Paulo quase a primeira etapa inteira.

Sem a bola, o Flamengo atuava em um 4-4-2, com Rodinei descendo para a primeira linha, Everton Ribeiro fechando na segunda linha pela direita, com Lázaro na esquerda e os volantes centralizados. Arrascaeta e Gabigol ficavam mais adiantados, marcando em cima. Logo com três minutos, o Mais Querido quase abriu o placar.

A marcação começou no campo de defesa. Então, a equipe começou a subir um pouco as linhas e pressionou o São Paulo pela esquerda, no meio de campo. Filipe Luís avançou e recuperou a bola, que ficou com Gabigol, centralizado. O camisa 9 cortou para perna direita e passou para a infiltração de Everton Ribeiro, pela direita, que chutou com a perna mais fraca e parou em grande defesa de Jandrei.

No minuto seguinte, mais uma grande chance. Marcando no campo de ataque, Arrascaeta conseguiu recuperar a bola pela direita, entrou na área e cruzou rasteiro para trás, nos pés de Gabigol. O centroavante bateu de primeira e Jandrei fez outra ótima intervenção. Então, depois de muita pressão e marcação, veio o gol rubro-negro.

Aos 24, com a equipe novamente fazendo a marcação no campo de ataque, João Gomes recuperou a posse na intermediaria, pelo meio. A bola ficou com Arrascaeta, que abriu para Lázaro na esquerda. O jovem avançou, cortou para dentro e deu lindo passe para a infiltração de Gabigol. O camisa 9 deu lindo chute rasteiro, por baixo do goleiro, abrindo o placar.

Mesmo depois do gol, o Flamengo continuou muito bem postado defensivamente. A equipe não deixava o São Paulo jogar e em alguns momentos chegou a ter boas chances de contra-ataque, mas acabou pecando no passe final. Porém, aos 40, o tricolor conseguiu empatar, na primeira chance criada. Depois de uma troca de passes no setor ofensivo, Rafinha cruzou na segunda trave. Rodinei ficou parado e deixou Calleri cabecear com liberdade e marcar.

Segundo tempo

O Flamengo voltou o mesmo para a segunda etapa. No começo, a equipe não estava conseguindo neutralizar o São Paulo como no primeiro tempo, dando mais espaço para o tricolor. Ainda assim, o Mais Querido conseguiu criar uma excelente chance de marcar, aos 5. João Gomes deu lindo lançamento para Lázaro, na esquerda. O jovem cortou para dentro e deu passe espetacular para Arrascaeta, quase na pequena área, que chutou em cima de Jandrei.

Paulo Sousa fez as primeiras mudanças aos 18, alterando as alas, para dar mais velocidade e explorar a fragilidade do São Paulo pelos lados. O treinador tirou Rodinei, que estava muito mal na partida na defesa e no ataque, para botar Isla e colocou Marinho na vaga de Lázaro. As substituições deram certo. Apenas cinco minutos depois, João Gomes, que teve grande atuação, deu outro lindo lançamento, dessa vez para o chileno pela ala-direita. O jogador dominou, driblou a marcação, cortou para a canhota e chutou colocado, fazendo um verdadeiro golaço.

Demorou apenas três minutos para sair o terceiro gol, novamente com influencia das substituições. Thiago Maia deu ótimo lançamento para Marinho, aberto na esquerda. O ponta dominou, foi para cima de Rafinha, cortou para a perna direita entrando na área e bateu cruzado. Arrascaeta, quase na pequena área, resvalou de cabeça e marcou o terceiro e último gol.

Após isso, o jogo ficou ainda mais controlado pelo Flamengo. Aos 31, Paulo Sousa fez mais uma mudança, tirando Everton Ribeiro e colocando Matheus França, que atuou na mesma função do camisa 7, adiantado pela direita. Já aos 40, Gabigol e Arrascaeta saíram, para as entradas de Pedro e Andreas Pereira, que fizeram as respectivas posições. O Mais Querido ditou o ritmo e ainda ficou próximo de marcar em falta de Andreas e jogada de França, só que terminou em 3 a 1.

A partida, então, foi muito boa do Flamengo. Time conseguiu corrigir o problema de espaçamento entre as linhas, atuando de forma compacta e sincronizada. A marcação foi muito boa e, ofensivamente, além dos três gols, conseguiu criar algumas oportunidades. A equipe de Paulo Sousa vem, nitidamente, evoluindo e conseguiu um ótimo resultado, para dar um pouco de paz no trabalho do português.

Fonte: Diário do Fla