Após doping, Rafaela Silva, do Mengão, vive sonho de competir em Paris 2024

Foto: AFP PHOTO

De volta após suspensão de dois anos por doping, a judoca Rafaela Silva, do Flamengo, concedeu entrevista ao ‘Lance’ e revelou os altos e baixos vividos depois da punição. Entre diversos assuntos, Rafaela falou sobre a retomada ao judô e como anda sua parte física.

“Havia muitas incertezas se eu voltaria, se conseguiria competir de igual para igual no alto rendimento novamente, com atletas novas aparecendo na categoria e medalhistas novas nas Olimpíadas de Tóquio. Mas eu sabia que o judô era meu lugar e minha paixão”, disse, antes de emendar:

“Obviamente, não estou no melhor momento possível, após dois anos sem poder treinar nem competir. Mas acredito que eu tenho feito um trabalho específico muito bom para correr atrás do tempo perdido e me recuperar da melhor forma. O mais importante é conseguir os pontos para a classificação olímpica. A cada treinamento de campo, como fizemos recentemente, e a cada competição sinto que eu me aproximo mais dos meus 100%”, complementou.

Rafaela ficou de fora das Olimpíadas de Tóquio por conta da suspensão e acabou entrando em depressão. Após dura batalha interna, ela se recuperou, foi contratada pelo Flamengo e busca a classificação para Paris 2024. A judoca agradeceu o acolhimento do Fla e reforçou sobre suas expectativas.

“Minhas expectativas para as competições de 2022 são as melhores possíveis. Fui campeã do Grand Prix de Portugal e participei dos Grand Slams de Tel Aviv e Paris. Estou em 25º no ranking mundial. Para a classificação olímpica, tenho de estar entre as 20 primeiras. Então, acredito que estou fazendo um bom trabalho. Espero evoluir a cada competição. É ano de Mundial, o que pode me ajudar ainda mais a subir no ranking para entrar novamente entre as melhores judocas da minha categoria e, assim, me classificar para Paris-2024”, disse antes de concluir:

“Eu tinha uma expectativa muito grande de representar o meu clube do coração. Minha transição para o Flamengo é só gratidão. Só tenho a agradecer à presidência do clube, à comissão técnica e aos meus parceiros de treino. Ninguém mediu esforços para que eu chegasse ao clube e tivesse o melhor desempenho possível, e o resultado pode ser visto nos meus resultados. Mas ainda temos muito trabalho a fazer”, completou Rafaela Silva.

Fonte: Diário do Fla