Início Notícias ‘Tenho como objetivo vestir o Manto Sagrado nos profissionais’, diz Matheus Gonçalves

‘Tenho como objetivo vestir o Manto Sagrado nos profissionais’, diz Matheus Gonçalves

(Foto: Gilvan de Souza)

Na tarde desta sexta-feira, a ‘FLA TV’ exibiu em seu canal mais um vídeo da série ‘Perfil FLA TV’. O convidado desta vez foi a joia do Sub-17, o meia Matheus Gonçalves.

Craque dentro das quatro linhas, o jovem contou um pouco da sua trajetória para os rubro-negros que o acompanham. Matheus Gonçalves foi um dos principais destaques do elenco do Sub-17, que na última temporada venceu tudo que disputou.

Apresentação:

“Sou o Matheus Gonçalves, tenho 16 anos e sou atacante do Flamengo. Gosto de ser chamado de Matheus Gonçalves, Matheuzinho ou apenas Matheus”.

Início da trajetória:

“Comecei jogando em uma escolinha perto da minha casa, em Bangu. Comecei lá com 5 anos, aos 7 anos eu sai. Fui jogar em um projeto que era futsal, também em Bangu. Jogando um torneio me destaquei e fui chamado para jogar em uma escolinha do Fluminense, que ficava em Padre Miguel. De lá acabei migrando para as categorias de base do Fluminense em Xerém, onde fiquei por um ano e meio, mas em 2015 acabei dispensado. Voltei a treinar em uma escolinha de bairro e em um torneiro voltei a me destacar e fui chamado pelo Flamengo, passei pelas categorias e estou no Mengão até hoje”.

Características:

“As características que me descrevem como atleta são personalidade, alegria para jogar futebol e ousadia”.

Principais objetivos no Flamengo:

“Meus principais objetivos no Flamengo são: estrear e conseguir jogar no profissional do clube e nesses anos que ainda me restam na base, ganhar o máximo de títulos possíveis com o Manto Sagrado”.

Referências no futebol:

“Minhas principais referências no esporte são Gabigol, Messi e Neymar”.

Apoio familiar:

“Sempre tive apoio dos meus pais, o meu pai sempre falava para eu nunca desistir que eu iria conseguir alcançar os meus sonhos. E sempre que acontecia algo de ruim, meu pai e minha mãe sempre estavam perto para me dar todo apoio que eu precisava”

2021 mágico para o Sub-17:

“No ano passado, 2021, ganhamos tudo no Sub-17. Mesmo eu sendo o mais novo do time, foi um ano mágico e eu pude contribuir. Foi um ano único e acho muito difícil uma equipe fazer o que fizemos. Fomos a primeira equipe a conseguir os três troféus e sem dúvidas vai ser muito difícil uma equipe repetir, e seguimos almejando coisas grandes para a temporada 2022”.

Fonte: Diário do Fla