Início Notícias ‘Troca de provocações dos dirigentes inflamaram ainda mais o jogo’, diz Zinho

‘Troca de provocações dos dirigentes inflamaram ainda mais o jogo’, diz Zinho

(Foto: Alexandre Vidal)

Atlético-MG e Flamengo fazem os últimos ajustes na preparação para a final da Supercopa do Brasil, no próximo domingo (20), às 16h00, na Arena Pantanal, em Cuiabá. Em meio a troca de provocações entre os dirigentes nos últimos dias, o ‘dentro de campo’, acabou ficando de lado. No programa ‘ESPN FC’, os comentaristas falaram sobre as polêmicas que envolvem o duelo.

“O jogo ficou maior, os dois clubes são grandes demais e já tem uma rivalidade que vem desde os anos 80, no final dos anos 80 eu acabo participando de alguns confrontos contra o Atlético-MG. São dois grandes elencos, mas eu prefiro falar de dentro do campo. Porque as duas equipes têm muito para ser dito, mas os dirigentes adoram aparecer e a CBF também contribui para isso”, disse Zinho.

O tetracampeão em 94, completou que a CBF poderia ter sido mais profissional para contornar melhor essa situação. Afirmando que essa indecisão serviu para dar palco aos dirigentes que adoram esse momento.

“A CBF poderia ter sido mais profissional e ter feito um diálogo simples com as duas equipes, com levantamentos sobre a Covid, locais que teriam melhores condições para o jogo com público. Dando palco para os dirigentes/torcedores, e essas provocações acabam inflamando o jogo”.

Por fim, Mauro Naves afirmou que a situação chega nas arquibancadas e as torcidas que já nãos e bicam pela rivalidade dão continuidade as provocações. O jornalista garantiu que isso também faz crescer a vontade da vitória.

“Essa situação vai mexendo com o torcedor, é um jogo que vale taça, mas cada hora surge uma notícia nova sobre alguma polêmica e faz crescer a vontade de vencer o rival. Por picuinhas nos bastidores, pois os clubes já tem uma grande rivalidade e agora aquece mais o jogo”.

Publicado em DiariodoFla.com.br