Início Notícias Paulo Sousa revela como se apaixonou por futebol: ‘Começou na minha garagem’

Paulo Sousa revela como se apaixonou por futebol: ‘Começou na minha garagem’

FLA TV

Paulo Sousa assumiu o comando do Flamengo para a temporada 2022. O português de 50 anos brilhou nos gramados como jogador, no entanto, como treinador ainda está em busca de um trabalho que o faça subir de nível, por isso assumiu o Mais Querido. Em entrevista para a Fla TV, o novo técnico do Mengão contou sobre a trajetória do menino que descobriu a paixão pelo futebol nas ruas e na garagem de seu pai.

”Meu nome é Paulo Manoel Carvalho de Sousa, tenho 50 anos. Desde muito cedo consegui perceber meu proposito de vida, a minha grande paixão, que foi o futebol. Tudo começou na rua e na minha garagem, que meu pai usava para trabalhar, ele era mecânico de motos. Isso me deu uma possibilidade que pudesse me desenvolver com a minha bola de plástico, bem leve, e fui desenvolvendo minha técnica individual. Porque a Televisão era preta e branco e passava pouca coisa, a internet não existia, isso fez com que eu fosse criativo e procurasse sempre desafio atrás de desafio. Isso tudo serviu para mais tarde para aquilo que não sabia que iria acontecer, ser um profissional de futebol. Aos 14 anos fui para Lisboa, para jogar no Benfica, onde todo meu processo de crescimento pessoal e profissional se desenvolveu.”, disse Paulo Sousa.

Com a chegada em um grande clube português como o Benfica, Paulo teve todas as ferramentas necessárias para desenvolver ainda mais seu futebol, vindo a ser convocado para as categorias de base da seleção nacional. Com o título do Campeonato Mundial sub-20, Paulo Sousa tornou-se um jogador mais influente na Europa e despertou interesse de um time da Itália, região onde todo jogador estrangeiro gostaria de atuar segundo o técnico, a Juventus.

”Com a oportunidade do Benfica, foi um momento super importante para mim e para minha geração porque houve um crescimento acadêmico, estava estruturado, bem organizado. Uma parte da estrutura do futebol que permitiu desenvolver um perfil de jogadores e de equipes, como foi o caso da seleção nacional através de clubes importantes como o Benfica, Sporting, Porto, Vitória de Guimarães de forma a poder alimentar a seleção nacional. Passado 3 anos desse processo, conseguimos conquistar pela primeira vez o Campeonato Mundial sub-20, na Arábia Saudita. Comecei a ser um jogador influente, importante e várias oportunidades se criaram. O mais importante, naquela altura, todo jogador estrangeiro importante queria jogar e joguei, que era o Campeonato Italiano.”, comentou.

 

Publicado em diariodofla.com.br