‘Acho super justo a campanha da Nação de dar a camisa 10 ao Arrascaeta’ diz Gustavo Henrique Dando Choque

Giorgian de Arrascaeta é considerado um dos maiores estrangeiros que já vestiram a camisa do Flamengo. Um dos protagonistas do time multicampeão desde 2019, o uruguaio de 27 anos vem sendo assunto nas redes sociais. Isso porque a Nação Rubro-Negra está realizando uma campanha para que o Flamengo entregue a camisa 10, pertencente a Diego Ribas, para o craque.  Para o youtuber Gustavo Henrique Dando Choque, apesar das grandes glórias conquistadas por Diego, o número desta camisa está imortalizada na história do clube (por conta de Zico) e tem que ser representada por um jogador titular, que seja uma referência no meio campo.

”Quem me conhece sabe a admiração que tenho pelo Diego. Acho ele um camarada gente fina, já ajudou muito ao Flamengo em várias ocasiões, inclusive a final da Libertadores que ganhamos em cima do River, com aquele passe maravilhoso. O Diego não foi nessa temporada aquele Diego que conhecemos.”, comentou Gustavo Henrique Dando Choque.

”O Diego merece respeito, porém não é o número da camisa que dá respeito, o que traz o respeito é a liderança interna. O futebol é um grande show e o Flamengo imortalizou essa camisa com Zico. Não estou falando que o Diego não merece a 10, ele só não joga mais como titular. Eu acho que o nosso camisa 10 tem que ir para um cara que jogue como titular e seja nosso cara no meio campo, a referência.”, opinou o youtuber.

Para Choque, a mobilização da Maior Torcida do Mundo pela troca de números é bastante válida. O youtuber comentou que compra o barulho da Nação e que a diretoria Rubro-Negra deveria pensar no assunto.

”Eu acho super justo essa campanha da galera para dar essa camisa 10 para o Arrascaeta. Concordo legal e compro o barulho da Nação. Acho que o Flamengo deveria pensar nisso direitinho e dar a 10 para o Arrascaeta”, completou.

 

Apesar de um possível interesse do Borussia Dortmund, Flamengo e Arrascaeta estão com as tratativas bem encaminhadas para resolver a renovação de contrato do craque. O meia possui vínculo com o Mais Querido até o fim de 2023, no entanto, deseja um reajuste salarial. Com o aumento de salário aceito pela diretoria, falta resolver o empecilho dos 25% dos direitos econômicos do atleta, que pertencem ao Defensor, do Uruguai.

Publicado em diariodofla.com.br