Flamengo não poupa esforços para investir no futebol feminino para a temporada 2022

footer logo

O Flamengo é uma equipe que vem alcançando grandes resultados no futebol masculino, é bem verdade que este ano as coisas não fluíram da forma esperada e a equipe encerrou o ano praticamente sem títulos e envolta em uma insatisfação da torcida, contudo de modo geral a equipe está sempre no topo das disputas, sempre brigando por títulos. Em contrapartida a equipe feminina fica atrás de alguns outros clubes brasileiros. Este ano por exemplo a equipe parou na nona posição do Campeonato Brasileiro e não avançou para a fase do mata-mata.

No país duas equipes que se destacam no futebol voltado para as mulheres é o Corinthians e o Ferroviária, e para fazer frente principalmente ao Alvinegro Paulista que conquistou nos últimos anos três Libertadores e três Brasileiros, além de outros títulos, o Flamengo vem mostrando que irá adotar uma postura mais agressiva no mercado da bola feminino e investir pesado na contratação de jogadoras. A começar pelo anuncio da meia Duda, que jogou pela seleção brasileira nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 e agora faz parte da equipe Rubro-Negra.



Além de Duda o clube também investiu para garantir a contratação de Cris, Gisseli e Leidiane. E assim como fez no masculino ao recorrer a um treinador português, o comandante da equipe feminina em 2022 será Luis Andrade, português que treinava o Benfica. A conduta pela equipe no passado que através da parceria do clube com a Marinha que tornava o órgão o responsável também por revelar jogadoras para o time. Atualmente o papel do órgão está praticamente restrita em ceder p uso da sua estrutura. O CT da Marinha é avaliado pelo clube como um dos três melhores da modalidade no país, e um dos destaques é a sua localização privilegiada. “O futebol feminino pode e deve ser utilizado para expandir a marca dos clubes. É importante que os clubes entendam a importância de ter um departamento de futebol feminino forte. A ideia de o Flamengo fazer um departamento de futebol feminino próprio demonstra que a modalidade vem ganhando importância dentro dos times brasileiros, na esfera administrativa e com a torcida”, analisou Higor Maffei Bellini, advogado especialista em direito esportivo, com forte presença no futebol feminino, ao UOL.

Foto: Divulgação/Flamengo | Flamengo anunciou a contratação de Duda, meia da seleção brasileira nos Jogos de Tóquio

O UOL Esporte conversou com agentes de jogadoras que foram procuradas pelo time carioca e ouviu que as propostas que chegam a ser cinco vezes maiores do que o valor que as jogadoras recebem atualmente, com salários que chegam à casa dos R$ 100 mil mensais. Um dos agentes que falou sob condição de anonimato ao UOL, revelou que condições são boas para as jogadoras, porém expressou uma preocupação a longo prazo.



“Para as atletas, financeiramente claro que é ótimo. Para a modalidade, para os demais clubes, um aumento brusco assim não é bom. O problema maior de se inflacionar o mercado é a manutenção do projeto em médio e longo prazo. Se o Flamengo não conseguir conquistar o que almeja com todo esse investimento, será que ele se manterá ou o clube irá desistir? O ideal é que as coisas sejam feitas de forma gradativa e progressiva, para não ter esse tipo de preocupação e problema”, relatou um agente.



Se para uns a situação gera preocupação, para outros a nova postura do Flamengo é motivo para se comemorar. Um empresário que agencia jogadoras da seleção e que atuam fora do país, também sob a condição de anonimato, é um dos que enxergam a mudança de estratégia do Mais Querido de forma positiva. “Eu vejo isso como desenvolvimento da modalidade. Lá fora já é normal, aqui os clubes estão sendo mais agressivos no investimento. Para ter retorno, você precisa ter boas jogadoras, é um caminho natural”, afirmou.

 Foto: Walmir Cirne/AGIF | O objetivo do Flamengo é chegar a Libertadores
Foto: Walmir Cirne/AGIF | O objetivo do Flamengo é chegar a Libertadores

Principal competição do continente, a Libertadores é o grande objetivo das equipes brasileiras principalmente agora que a premiação está ainda mais atraente. Este ano as campeãs faturaram, mas na semana passada a Conmebol informou que o prêmio subiu para US$ 1,5 milhão na próxima temporada. E este o próprio Flamengo afirmou que aumentou o investimento justamente visando a oportunidade de chegar na competição continental. “O ano de 2021 foi de reestruturação. Nós queremos montar times fortes para alcançar nossos objetivos. O primeiro é chegar na Libertadores. Depois queremos conquistar títulos, movimento natural quando se investe mais”, disse o clube rubro-negro.



Outro detalhe que pode fazer valer a pena o investimento extra do Flamengo é o fato de a FIFA ter um projeto para a criação de um Mundial de Clubes para os times femininos. Em um relatório enviado pela FIFA aos 211 filiados, a entidade informou que a ideia é que seja realizado um grande evento de futebol feminino por ano. Com um calendário mais movimentado a tendencia é ampliar a visibilidade do esporte, das atletas e consequentemente das equipes.

Publicado em bolavip.com