Jornalista aponta evolução tática de Renato Gaúcho nos últimos anos: “Em 2013 ele jogava na retranca”

Rodrigo Oliveira contou todos os detalhes do novo comandante, já que a sua última passagem pelo Grêmio foi de quase cinco anos.

Renato Gaúcho, técnico do Flamengo – Foto: Alexandre Vidal

DIÁRIO DO FLA: Na noite desta segunda-feira, a repórter Raísa Simplicio, do Brasil Global Tour, publicou em seu canal, no Youtube uma entrevista com o jornalista Rodrigo Oliveira, da Rádio Gaúcha Zero Hora, de Porto Alegre. O assunto foi a chegada do técnico Renato Gaúcho ao Flamengo, e Rodrigo contou todos os detalhes do novo comandante, já que a sua última passagem pelo Grêmio foi de quase cinco anos. Perguntado sobre a qualidade do Renato, o jornalista de Porto Alegre respondeu:

“Os títulos e o currículo dele já são as maneiras de explicar as qualidades do Renato. O Grêmio estava há 15 anos sem ganhar nada, o Renato chegou e ganhou a Copa do Brasil em 2016 e a Libertadores de 2017, ganhou a Recopa Sul-Americana e várias vezes o Campeonato Gaúcho. O Renato tem muitas qualidades, a principal delas é a gestão de grupo. Ele tem uma facilidade para lidar com os jogadores, para dominar o ambiente no vestiário e deixar os atletas tranquilos para que cada jogador renda o máximo que possa render”, declarou Rodrigo.

Esse e outros assuntos foram pautas do debate. Veja abaixo outras respostas de Rodrigo Oliveira para a repórter Raísa.

Evolução tática
“Em 2013 ele jogava na retranca, com três zagueiros e três volantes. Já na última passagem, ele armou um time completamente ofensivo, com volantes criadores, Arthur e Maicon, e o Grêmio passou a apresentar um futebol envolvente e foi um dos times mais bonitos que vi jogar”

Utilização de jogadores da Base
“Ele não é um técnico que tem a característica intensa de usar jogadores da base não, pelo contrário, ele gosta de usar ‘cascudos’. A grande ‘bronca’ da torcida no Sul era essa, que ele não dava poucos espaços para os jogadores jovens. Ele lançou jogadores jovens sim, o Everton Cebolinha é um exemplo, mas se for ver os jovens que estouraram, foi no limite da hora para estourar. O Cebolinha se parar pra ver, na final da libertadores de 2017 contra o Lanus, ele estava no banco de reservas e na ponta esquerda era o Luís Fernando. Só entrou quando foi uma coisa muito óbvia, não tinha outras opções para colocar. Ele já estava arrebentando. A mesma coisa com o Pepê. De fato ele é cauteloso no uso de garotos da base.

Vazamento de informação
“Eu não sei se ele vai conseguir evitar o vazamento de notícias no Flamengo, mas ele vai tentar. Ele vai a fundo até descobrir quem é o ‘x9’, e vai falar publicamente. No Grêmio aconteceu uma situação que ele questionava na frente de todo mundo, até mesmo na frente das câmeras, nitidamente para constranger o ‘x9’, pra deixar ele com medo. Então ele vai tentar amenizar isso, o vazamento de informação”

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira seu comentário!
Por favor insira o seu nome aqui