Gerson revela discussão com Jorge Jesus por mal-entendido: “Acabei dando uns gritos com ele também”

Filipe Luís pediu para o volante relembrar uma situação curiosa que teve com o treinador no Flamengo.

Gerson, Jorge Jesus e Pablo Marí no Flamengo – Foto: Alexandre Vidal

DIÁRIO DO FLA: Gerson se despede do Flamengo nesta quarta-feira (23/06), na partida contra o Fortaleza, pela 6ª rodada do Campeonato Brasileiro. Esta terça, então, foi repleta de homenagens, como o último treino do camisa 8 pelo Mais Querido. Além de transmitir a atividade, a FlaTV fez um especial para o jogador, chamado “Valeu, Coringa!”.

O programa foi apresentado por outros jogadores do Flamengo. Diego, Filipe Luís, Diego Alves, Bruno Henrique, Hugo Moura e Gabriel Batista fizeram algumas declarações e sobre o “Coringa” e depois entrevistaram o próprio Gerson, com muita descontração. O camisa 8 falou sobre a chegada no Mais Querido e a importância de Jorge Jesus na vinda.

“Mister fez um esforço muito grande para eu estar aqui, me ligando diariamente, falando que contava comigo aqui no Flamengo. Eu estava lá na Itália um pouco largado, pensando até em deixar o futebol de lado. Ele me perguntou o que tinha acontecido lá, eu falei que me disseram que não contariam comigo nessa temporada. Ele falou ‘beleza, eu conto com você aqui’. É uma coisa que me deixou muito feliz. Eu vi que o cara, mesmo sem nunca ter trabalhado comigo, estava depositando uma confiança muito grande no meu futebol’.

Inclusive, Filipe Luís pediu para o meia relembrar uma situação curiosa que teve com Jorge Jesus. Gerson contou e destacou o carinho que tinha pelo técnico.

“Nesse dia, eu fui falar com o Michael para ele tentar fazer alguma coisa para melhorar o time e ele (Jorge Jesus) achou que eu estava falando outra coisa. Aí foi me dar esporro. Acabou que dei uns gritos lá com ele também. ‘Você nunca elogia, só critica’. Depois de uma semana a gente estava sentado ali, ele quis perguntar o que eu quis dizer e depois ele falou ‘Você tem razão’. É meu paizão”.

Os jogadores também lembraram que Gerson chegou tímido no Flamengo, ficando mais calado e no canto. Diego Alves perguntou o motivo disso e o Coringa explicou

“Tem que conhecer o ambiente, tem que saber chegar. Não pode chegar e ‘ahhh’. Calma, chega devagar, tem que conhecer o ambiente. Depois vai se soltando. Também não pode se soltar muito, porque fica meio estranho”.

O Coringa ficou marcado também no Flamengo pela comemoração, o “Vapo”. Ele falou como surgiu a ideia.

“Na Itália, o ‘pai’ estava muito tempo sem fazer gol. A bola não entrava. Aí, conversando com meu parceiro, ele falou ‘quando fizer o gol tem que comemorar assim, tipo como se estivesse cortando o pescoço dos caras, executando’, eu falei “jae”, mas nada do gol sair. Fiquei lá uns 7 meses e o gol não saiu. Vim pra cá, contra o Botafogo, terceiro jogo, primeiro no Maraca. Cortei pra dentro, fiz o gol. Corri pra lá, corri pra cá, fiz o Vapo. O Vapo é da minha tropa. Nem vem falar que foi não sei quem que criou”.

Ao ser questionado por Diego Alves qual foi a partida mais marcante dele pelo Flamengo, Gerson nem hesitou. Lembrou na hora da vitória em cima do Independiente Del Valle, por 3 a 0, pela decisão da Recopa Sul-Americana. Na ocasião, Willian Arão foi expulso aos 23 minutos e mesmo assim o Mais Querido conseguiu a vitória e o título, com 2 gols do camisa 8.

“O que eu dei o título para vocês lá, contra o Del Valle. Esse jogo aí, com um a menos, pai, eu falei ‘calma’. Fiz gol de carrinho…”. Quando Diego Alves disse que o gol foi em uma finalização errada, Gerson corrigiu e ainda provocou Filipe Luís “Chutei errado não, eu dominei errado e improvisei, dei de carrinho. Filipe nunca tinha atingido a velocidade que atingiu na hora da comemoração”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira seu comentário!
Por favor insira o seu nome aqui