Flamengo sabia que não paralisaria o Brasileiro pelo STJD, mas quis marcar território

A manobra do departamento jurídico do Flamengo foi feita com a ciência de que o clube teria êxito, sendo mais uma forma de marcar posição.

Rodolfo Landim – Foto: Alexandre Vidal

UOL: Desfalcado de quatro de seus principais jogadores devido à Copa América, o Flamengo acionou o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) para tentar a paralisação do Campeonato Brasileiro, mas não teve sucesso, com o tribunal decidindo de forma unânime, por 9 votos a 0, pela manutenção da competição.

No podcast Posse de Bola #135, Mauro Cezar Pereira afirma que a manobra do departamento jurídico do Flamengo já foi feita com a ciência de que dificilmente o clube teria êxito, sendo mais uma forma de marcar posição e que nas próximas semanas o time comandado por Rogério Ceni terá de encarar jogos complicados sem ter a sua força máxima.

“Foi para marcar posição, me pareceu claro isso aí, uma tentativa de marcar posição. Os jogos agora começam a ficar mais difíceis, tem o Bragantino, tem o Fortaleza, adiou o jogo do Grêmio, e acho até que foi um mau negócio adiar o jogo do Grêmio a essa altura, está perdendo tudo. É curioso isso, talvez o time reserva do Flamengo fosse até negócio jogar agora contra o Grêmio, porque a fase do Grêmio é um negócio horroroso e o jogo do Athletico-PR também adiado, esses jogos vão ficar lá para a frente”, diz Mauro Cezar.

“Agora vai começar a complicar, tem o jogo do Atlético-MG lá no final, tem o jogo do Fluminense, o Flamengo vai ter jogos mais difíceis pela frente, agora, o Flamengo foi para marcar posição, uma tentativa de classificar esse enfrentamento, que aí tem a não-liberação do Pedro e tem tudo isso”, conclui.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira seu comentário!
Por favor insira o seu nome aqui