Tite diz querer ver Gabigol, Neymar e Everton Ribeiro juntos: “O jogo pedia a entrada de um articulador”

Sobre Gabigol, o treinador diz que todos precisam ter paciência quando um jogador mostra alguma irregularidade com a camisa da Seleção.

Everton Ribeiro comemorando gol com Neymar na Seleção Brasileira – Foto: Lucas Figueiredo

JOGADA 10: Tite comentou o que levou a Seleção Brasileira a fazer um primeiro tempo fraco em relação aos últimos jogos. E também a sua estratégia de colocar Everton Ribeiro no intervalo para ser mais um articulador. Isso levou a equipe a sair de um placar apertado para uma goleada de 4 a 0 sobre o Peru, nesta quinta-feira, no Nilton Santos. Para Tite, Everton Ribeiro harmonizou o jogo brasileiro.

“O primeiro tempo não foi o que prevíamos tanto na articulação quanto na marcação na saída de bola do adversário por alguns motivos: o Peru é uma seleção de qualidade e a nossa pressão alta não foi boa. Tivemos uns erros de passes – e isso é próprio de uma equipe muito modificada. Mudei demais e ocorreu uma falta de sincronia. Faltava um articulador. Everton Ribeiro entrou e deu essa harmonia.”

Gabigol começou como titular, mas não apareceu muito e foi sacado no intervalo para dar vaga a Everton Ribeiro. Perguntado sobre a irregularidade do ídolo do Flamengo, o treinador diz que todos precisam ter paciência quando um jogador mostra alguma irregularidade com a camisa da Seleção.

“Calma. O futebol é feito de calma. Senão a gente cria uma expectativa excessiva achando que o atleta tem de entrar e produzir o que faz no seu clube. Futebol é como uma engrenagem que temos de ajustar. No segundo tempo, percebi que o jogo pedia um número grande de atacantes, mas também a entrada de outro articulador. Gabigol saiu, mas se fosse Gabigol, Neymar e Everton Ribeiro em campo, o resultado poderia ser melhor. São ajustes e temos de ter calma, ou a gente precipita as coisas.”

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira seu comentário!
Por favor insira o seu nome aqui