Artilheiro do Paulistão, Bruno Mezenga sonha com volta ao Flamengo: “Tempo ainda há”

Hoje, aos 32 anos, ele é o artilheiro do Paulistão vestindo a camisa da Ferroviária e sonha com um retorno ao Rubro-Negro.

TNT SPORTS: Centroavantes experientes em grandes clubes do futebol brasileiro não são uma novidade. Gilberto, Luiz Adriano, Jô, Fred, Ricardo Oliveira, entre outros atacantes trocam a velocidade pela experiência para seguir balançando as redes em alto nível.

Aos 21 anos, Bruno Mezenga foi o substituto do lesionado Adriano na conquista do título brasileiro de 2009 com a camisa do Flamengo. Hoje, aos 32 anos, ele é o artilheiro do Paulistão vestindo a camisa da Ferroviária e sonha com um retorno ao Rubro-negro, conforme revelou em entrevista exclusiva à TNT Sports.

“A gente tem que sonhar. Tempo ainda dá. Eu me sinto bem, me sinto com a mesma vontade, o mesmo foco e a mesma determinação de quando eu era novo, mas agora com mais experiência”.

O atacante disputou sete partidas daquele Brasileirão e em 2010 entrou em campo com a camisa rubro-negra em partidas pelo Campeonato Carioca, pelo Brasileirão e pela Copa Libertadores da América, mas foi negociado no meio do ano com o Legia Warszawa, da Polônia.

“Eu pouco tive sequência real, o único treinador que me deu sequência legal foi o Andrade, porque o Adriano foi bem poupado no carioca. Acho que quando foi em 2009, estava no banco, mas não tinha como jogar com Love e Adriano. Ataque sensacional. Em 2010, consegui jogar mais, comecei a fazer gols e logo depois acabei saindo”, relembra Mezenga.

Depois do Legia Warszawa, Mezenga ainda passou pelo Crvena Zvezda, da Sérvia, antes de embalar sete temporada no futebol turco em três clubes diferentes: Orduspor, Akhisar e Eikesehispor. Ele lembra com carinho de ter enfrentado jogadores como Felipe Melo, Sneijder, Muslera e Drogba. O carinho é tão grande que não descartou nem mesmo morar lá quando se aposentar. “Meu filho nasceu na Turquia e é um bom país pra se viver. Quem sabe?”.

Em 2019, Mezenga voltou ao futebol brasileiro, passando rapidamente por São Caetano e Vila Nova, antes de se aventurar no futebol tailandês em 2020, numa passagem mais curta do que se imaginava pelo Prachuap por conta da pandemia. “Não foram nem três meses, uma pré-temporada e poucos jogos”. E aí a Ferroviária apareceu na sua vida.

“Abriu as portas pra eu poder voltar ao futebol brasileiro num campeonato forte como o Paulistão. Muito tempo jogando fora do Brasil acaba dificultando a volta, porque você fica um pouco esquecido. Só tenho a agradecer. Espero que a gente chegue até a final do Paulistão”, disse o atacante que tem contrato até o fim do Paulistão de 2022, mas não descarta uma volta a Série A do Brasileirão em breve.

“Lógico que almejo um clube de Série A. Com 32 anos ainda sou novo, dá pra ver pela falta de centroavantes que tem no futebol brasileiro, você vê nos grandes clubes os jogadores, na maioria, tem a minha idade ou são mais experientes do que eu. Tenho algumas sondagens, ainda mais com os números que eu venho tendo, acabam aparecendo, sim. Mas nada concreto por enquanto”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira seu comentário!
Por favor insira o seu nome aqui