O esforço do Botafogo para não perder Matheus Nascimento para o Flamengo

O estafe do jogador sabia o valor de mercado da joia e fez jogo duro nas negociações. O Botafogo, por sua vez, não queria perdê-lo de forma alguma.

Foto: Divulgação

O Botafogo divulgou seu balanço financeiro na última semana, e um item chamou bastante atenção: o clube só tem 60% dos direitos econômicos de Matheus Nascimento, joia revelada no clube e monitorada desde cedo por gigantes europeus. A explicação é que o Alvinegro teve que ceder 30% para o próprio jogador, algo fora do padrão nesse tipo de negociação. Mas por que o Glorioso aceitou?

Matheus Nascimento é considerado o principal jogador da geração 2004 do clube. Ainda nas categorias de base, já era muito valorizado e sofria forte assédio no mercado da bola. Ele chegou ao Botafogo com apenas 13 anos e criou forte identificação com o clube. Próximo aos 16 anos e pronto para assinar o primeiro contrato profissional, o jovem centroavante quis ficar no Alvinegro mesmo com sondagens do Flamengo e várias outras propostas na mesa. Porém, o alto pedido surpreendeu.

O Botafogo, claro, entendeu que a longo prazo isso significará uma bolada de dinheiro. Foram quase cinco meses de negociação entre as partes. Matheus Nascimento é representado pelo pai, que diariamente recebia propostas de empresários dispostos a assumir a gestão da carreira do filho.

Segundo apuração do UOL Esporte, um desses empresários chegou a oferecer US$ 1 milhão (cerca de R$ 5,4 milhões) para o pai de Matheus Nascimento. Jogador e família queriam a permanência no Botafogo, mas era preciso uma contrapartida.

O estafe de Matheus Nascimento sabia o valor de mercado da joia e fez jogo duro nas negociações. O Botafogo, por sua vez, não queria perdê-lo de forma alguma. Mesmo sabendo que a pedida do jogador era alta e fora dos padrões, o Alvinegro entendeu que era o melhor caminho a ser seguido.

Diretores envolvidos na negociação foram taxativos ao dizer que o negócio não foi dos melhores, mas que o pior seria ver a joia se profissionalizar por outro clube. Não houve rusga no caso. O Botafogo sentia a vontade de Matheus em seguir no Alvinegro, o que deixou as conversas em tom ameno.

Além disso, o Botafogo tem uma parceria de alguns anos com a Trops, pequeno clube de Niterói. No caso de Matheus Nascimento, eles identificaram o jogador e o levaram ao clube, que sequer tinha conhecimento do atleta. Sendo assim, foi acordado naquele momento que 10% dos direitos econômicos ficariam para o parceiro, o que explica o atual percentual do Alvinegro.

Fonte: UOL

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira seu comentário!
Por favor insira o seu nome aqui