Dirigente do Internacional critica Landim por espaço no Maracanã: “Mentiu pra mim”

João Patrício Herrmann disse que se o presidente Alessandro Barcellos autorizar irá "abrir o Beira-Rio" para a torcida do Internacional.

O vice de futebol do Inter, João Patrício Herrmann, reclamou do Flamengo e da arbitragem após a derrota do time gaúcho por 2 a 1, hoje (21), no Maracanã. Segundo ele, a atitude do árbitro foi reconhecidamente equivocada e será pauta numa investida à CBF nos próximos dias.

“Quem estava no estádio viu uma das maiores vergonhas recentes do futebol brasileiro. O Inter foi surrupiado. Uma vergonha a atuação do árbitro. Os próprios jogadores do Flamengo falaram que não era lance de vermelho. Amanhã vamos à CBF ouvir este VAR (áudio do árbitro de vídeo), e vamos ficar ainda mais atentos. Tivemos um sinal muito claro no jogo contra o Vasco, e hoje fomos novamente prejudicados de forma absurda. Entendo que nosso time foi guerreiro, corajoso, enfrentamos o clube de maior torcida no Brasil. E vimos o desespero dos dirigentes do Flamengo praticamente invadindo o campo, do treinador, da comissão técnica xingando nossos jogadores e tentando que o VAR não fosse consultado no gol anulado, tentando manipular o VAR. É uma vergonha. O Flamengo é um grande clube que não precisa deste tipo de atitude”, disse.

A reclamação se dá em razão da expulsão de Rodinei, no início do segundo tempo, ocorrida após o árbitro consultar o vídeo e revisar o lance.

“Vocês (jornalistas) deveriam entrevistar o árbitro para ele explicar o que ele fez aqui hoje. É bom que o presidente da CBF estava aqui, vários vice-presidentes estavam aqui e enxergaram a falta de critério. Nosso departamento jurídico está muito atento e vamos à CBF”, disparou.

João Patrício ainda reclamou da atitude e disse que se o presidente Alessandro Barcellos autorizar irá “abrir o Beira-Rio” para torcedores na última rodada.

“Colocaram 60 pessoas atrás do banco, nos colocaram lá no canto, no fundo, o presidente do Flamengo mentiu para mim. Este é o ambiente aqui. Disseram que não poderiam nos colocar em outro lugar. Ele não mandou mensagem, ele me mentiu olho no olho. Não deixaram ficar em outro lugar. Foram atitudes ‘varzeanas’ do Flamengo. A minha vontade é, se o presidente me autorizar, liberar o Beira-Rio para torcida”, disse.

Por fim, o dirigente disse que confia no grupo e que o campeonato ainda não acabou.

“Eu tenho fé. Hoje nosso grupo foi muito guerreiro. Nosso vestiário está muito fechado. O campeonato ainda não acabou, eu confio muito que este título virá para o Inter”, finalizou.

Fonte: Uol

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira seu comentário!
Por favor insira o seu nome aqui