“Nossa equipe está acostumada a jogar para 60 mil pessoas”, destaca Diego

Os jogadores do Flamengo se sentem prejudicados com a ausência dos torcedores, como disse Diego Ribas, ao fazer o balanço da temporada.

GLOBO ESPORTE: A lesão de última hora de Willian Arão, que fraturou um osso do pé em um acidente doméstico na quinta, foi tema na entrevista coletiva de Diego nesta sexta-feira, no Ninho do Urubu. O capitão do Flamengo lamentou a possível ausência do volante, mas mostrou confiança no elenco rubro-negro e disse que o desfalque, se confirmado, pode ser usado como motivação para o duelo com o Internacional no domingo.

– O Arão é um dos pilares desse time, por tudo que representa como jogador e pessoa. Se jogar domingo, continuará sendo importante, como todos nós sabemos. Se não jogar, temos que usar isso até como motivação. Com certeza temos elenco para substitui-lo à altura e continuar sendo competitivos – afirmou o capitão, que disse ainda não ter falado com Arão: – Ainda não tivemos oportunidade de falar com ele. Mas, claro, como disse aqui, ele é um dos pilares dessa equipe e queremos o melhor dele. Se jogar domingo, vai ser importante como sempre. Se não jogar, será motivação para que possamos fazer um grande jogo e dedicar nossa vitória a ele.

Diego também fez uma breve análise do Flamengo na temporada 2020/21, recordou os três títulos conquistados (Recopa Sul-Americana, Supercopa do Brasil e Campeonato Carioca) e espera fechar o caneco do Brasileirão para fechar com chave de ouro.

– Nós conquistamos três títulos até agora, estamos disputando mais um, muito importante. Se não me engano, a última vez que o Flamengo foi bi brasileiro foi na década de 80. O balanço dela eu só poderei fazer quando terminar. Vale ressaltar a resiliência dessa equipe, de comissão técnica, com essa temporada atípica. Ninguém foi mais prejudicado que o Flamengo nessa pandemia. Todos foram prejudicados, mas nossa equipe está acostumada a jogar para 60 mil pessoas. Foi mais uma situação que tivemos que superar para chegar aqui. Seguiremos focados e, quando terminar a temporada, poderemos falar com mais propriedade – concluiu.

Flamengo e Internacional se enfrentam no domingo, às 16h (de Brasília), no Maracanã. Líder do Brasileirão, o Inter conquista o título em caso de vitória. Empate ou vitória do Flamengo deixam a decisão para a última rodada.

Veja outros trechos da entrevista de Diego:

Reencontro com Abel Braga
– Eu tenho muito respeito e carinho pelo Abel. Vai ser um prazer reencontrá-lo nesta situação. Nós esperamos, obviamente, que ele está estudando e analisando nossa equipe para que possa ser um jogo equilibrado. Da nossa parte, a mesma coisa. Vamos nos preparar da melhor forma possível. Jogamos em casa e estamos confiantes para um grande jogo.

Experiência de 2019
– Ponto positivo que nós temos, que foi conquistado. Experiência se conquista, desde que aprenda com os erros e tudo que vive. Ela pode nos ajudar desde que continuemos a fazer a mesma coisa, que é ter humildade e trabalhar muito para conquistar nossos objetivos.

Palestras no vestiário do preparador Danilo
– O Danilo (preparador) é um grande amigo, teve adaptação muito boa, uma identificação rápida e imediata com os jogadores. As palavras e a energia que ele transmite são muito positivas. Temos certeza que algo relevante vai acontecer neste jogo de domingo. Ter pessoas competitivas e positivas é um prazer para nós.

Adaptação à nova função
– Estou muito à vontade, sou muito competitivo. Essa competitividade eleva o nível de apresentação. É importante encontrar uma forma de continuar desenvolvendo um bom futebol e ser importante, independente da posição, jogando 90 minutos ou entrando no segundo tempo. Meu esforço é sempre para contribuir de alguma maneira com a equipe. Sinto-me muito bem, à vontade, bem preparado, e os jogos importantes e decisivos nos motivam ainda mais. Eu me cuido muito para continuar sendo importante num elenco extraordinário. Fico muito feliz, motivado, desfrutando deste momento tão bom que é jogar pelo Flamengo num tipo de jogo como esse.

Meio-campo sem volantes
– Essa consideração é fundamental para todo o funcionamento do sistema: comprometimento. Temos comprometimento muito grande por parte dos jogadores. Só tenho a agradecer a meus companheiros, Rodrigo Caio, Arão, Filipe Luis, que me ajudam constantemente no posicionamento. Eu acho que, independente dos nomes e da característica dos jogadores, quando a gente se propõe a fazer dessa forma, com entrega total, a chance de dar certo é muito grande. Acaba sendo muito prazeroso. A qualidade destes jogadores traz um futebol muito atraente e muito bonito, e acima de tudo, vitorioso, que é o nosso grande objetivo.

Recado à torcida
– Estamos com muita saudade. Fazem muita falta. Esse ambiente que a torcida só ela consegue proporcionar tem nos deixado realmente com muita saudade. Por outro lado, quero que tenham a certeza que estamos dispostos a superar qualquer dificuldade para corresponder às expectativas deles e sermos campeões para que em breve possamos comemorar juntos, com um sorriso no rosto, como fizemos tantas vezes.

Semana de preparação antes da final
– Acho que está bem claro que não é a primeira semana decisiva que vivemos. E não será a última. Vestir a camisa do Flamengo é ter objetivo claro de ser campeão. Mais uma vez nós vivemos essa semana. É um prazer viver, jogar e vestir essa camisa, ter essa cobrança. O nosso objetivo é manter tudo que vem sendo feito até agora, principalmente os últimos jogos. Cada um deles foi uma decisão. Agora será contra o Inter, mas temos claro aquilo que devemos fazer. É manter o foco, a concentração e a humildade para ir em busca da vitória.

Máxima do “Deixou chegar”
– Acredito que tudo é conquistado. Nós conquistamos o direito d eestar aqui disputando esse título com muito esforço. Sabemos que essa camisa representa muita coisa. Nossa motivação vem justamente disso: disputar títulos e vencer. Nosso grande diferencial é trabalho e confiança. É o que vamos fazer.

Recuo de posição
– É sempre desafiador, porque eu exijo muito de mim mesmo. Quando me proponho a fazer, quero fazer da melhor forma possível. Eu não seria nada sem os desafios na minha carreira. Eles me motivam, elevam meu nível. Aconteceu com naturalidade, é uma faixa que eu conheço bem. Meus companheiros e o Rogério me ajudaram muito. Está sendo muito legal.

Possibilidade de um bi brasileiro desde 83
– Motivado. Foram três títulos até agora nessa temporada. QUanto mais vencemos, mais queremos vencer. A equipe está vivendo um momento de confiança muito elevado. Conquistamos isso com muito trabalho. É um privilégio ter a oportunidade de fazer história com a camisa do Flamengo.

Relação com Gerson
– Minha relação com o Gerson está sendo excelente, sempre foi. É um jogador acima da média. O meio-campo do Flamengo tem jogadores que são especiais e jogam muita bola. Jogar com eles realmente facilita. O Gerson a gente está se entendendo muito bem, temos muita comunicação, e isso faz com que a qualidade de cada um apareça cada vez mais. Que a gente possa seguir assim, se divertindo, se ajudando, e que o Flamengo continue vencendo.

Duelo de estilos com o Inter
– Nós entramos com o grande objetivo de vencer. Como vai ser, obviamente dentro das nossas características… Uma das nossas qualidades é saber encontrar soluções dentro do jogo para vencer. Temos uma equipe preparada para um jogo mais técnico e também mais disputado. É assim que vamos para o jogo. Prontos para solucionar qualquer situação que aconteça. Nosso objetivo é vencer e estamos preparados para fazer o que for necessário

3 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira seu comentário!
Por favor insira o seu nome aqui