TRT recusa pedido de bloqueio das contas do Flamengo

A justiça rejeitou o recurso do Ministério Público do Trabalho que pedia o bloqueio de R$ 100 milhões do Flamengo para futuras indenizações.

COLUNA DO FLA: Nesta terça-feira (09), dois anos após a Tragédia do Ninho, a justiça rejeitou o recurso do Ministério Público do Trabalho que pedia o bloqueio de R$ 100 milhões do Flamengo para futuras negociações de indenizações. Em rede social, Rodrigo Dunshee, vice-presidente geral e jurídico do clube, informou a decisão à Nação Rubro-Negra.

CONFIRA A PUBLICAÇÃO:

“Hoje, o Tribunal do Trabalho decidiu rejeitar o recurso interposto pelo Ministério Público do Trabalho (MPT) e, assim, manter a decisão de extinção da ação que objetiva bloquear milhões do Fla para garantir indenizações, mas o Fla já tratou e trata disso direto com as famílias.”

A ação foi aberta em fevereiro de 2019 e, em outubro do mesmo ano, teve uma decisão atacando a alegação de defesa do Flamengo. No entanto, ao longo desse tempo outras quatro sessões aconteceram, além disso, o processo teve inúmeros adiamentos e ausência de desembargadores para o julgamento.

Além do bloqueio de R$ 100 milhões para garantir as futuras indenizações – tanto de famílias fatais, quanto de jogadores e funcionários feridos -, a ação pediu também a penhora das rendas de partidas, de patrocinadores, de vendas de jogadores e de 30% da arrecadado nas lojas oficiais do Flamengo.

Cabe destacar que há uma outra ação do Ministério Público Estadual do Rio de Janeiro e da Defensoria Pública, que em um primeiro momento garantiu a pensão de R$ 10 mil, e recentemente foi cortada por decisão da Justiça, no entanto, o recurso ainda pode ser apreciado.

Até o momento, o Flamengo conseguiu fechar as negociações sobre as indenizações de oito famílias, além do pai de Rykelmo. A diretoria do Rubro-Negro ainda não conseguiu chegar a um acordo com os parentes de Christian Esmério.