Abel Braga afirma que teve participação no Flamengo de Jorge Jesus; entenda

O técnico Abel Braga concedeu coletiva de imprensa após vitória no Grenal

Abel Braga voltou a falar do Flamengo após a vitória de virada do Internacional por 2 a 1 sobre o Grêmio, neste domingo, 24. Segundo o treinador, seus últimos trabalhos são injustamente questionados. Para ele, sua passagem em 2019 pelo Rubro-Negro pode ser considerada boa porque tudo que disputou, ganhou. Entretanto, de acordo com o treinador, com Jorge Jesus “quatro jogadores essenciais chegaram”.

A afirmação do técnico foi durante a coletiva de imprensa. Ao ser questionado sobre estar dando a volta por cima após anos de baixa, Abelão discordou:

“Eu sei pra onde fui, sei as escolhas que fiz. Quando falam que fui mal no Cruzeiro ou no Vasco, eu concordo. Sei que não fiz o meu melhor. Mas falar que fui mal no Flamengo, não dá. Tudo o que eu disputei pelo Flamengo eu venci. Florida Cup, estava bem no Brasileiro, deixei o time classificado na libertadores e 50% pra ser campeão na Copa do Brasil, desclassificando fortes times.”, disse o treinador colorado.

De acordo com ele, o diferencial entre o seu trabalho e o de Jorge Jesus teria sido a chegada de jogadores que chamou de essenciais. E chamou o volante Gérson de “monstro”:

“Acontece que tinha limitações e depois chegaram 4 jogadores essenciais, com inclusão do monstro do Gerson, que juntos formaram 40% da equipe vencedora de tudo ali. Tenho participação sim e fiz lá um bom trabalho”, desabafou.

Flamengo virou assunto em coletivas no Internacional

Esta é a segunda vez que o veterano treinador cita o Rubro-Negro. Em dezembro, comentou a busca do Colorado pelo espanhol Miguel Angel Ramírez. Entretanto, pediu “verdade” por parte dos dirigentes, algo que teria faltado ao Flamengo, em 2019:

“Fiz contrato até fevereiro, porque é quando termina o campeonato. Contudo, eu sou um cara muito da verdade. Quem me contratou sai agora, pessoas que eu tenho um carinho, respeito e admiração enorme. Eles saem, mas meu contrato não acaba. Pergunta ao presidente eleito o que ele quer fazer, porque comigo é tudo muito simples, só quero uma coisa: verdade, que foi, por exemplo, o que não teve no Flamengo”, disse na coletiva.

Abel Braga pediu demissão do Flamengo em maio de 2019. À época, o treinador afirmou que a diretoria negociava com outro treinador enquanto ele ainda era o técnico. Pressionado pelo desempenho abaixo do esperado da equipe, Abelão era questionado pela torcida e imprensa.

Entre as polêmicas esteve a do uruguaio Arrascaeta na reserva. Um dos nomes mais importantes daquela temporada sob comando de Jorge Jesus, para Abel o meia não poderia jogar com Éverton Ribeiro e Bruno Henrique. Numa das entrevistas, até afirmou que ‘o Flamengo é escalado de dentro para fora’.

Fonte: Mundo Rubro negro

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira seu comentário!
Por favor insira o seu nome aqui