“Arão se colocou à disposição pra jogar onde eu quiser”, diz Ceni

O treinador do Flamengo falou sobre a possibilidade de manter o volante como zagueiro nesta reta final de Brasileirão.

Foto: Alexandre Vidal

A confiança do Flamengo está renovada após duas vitórias consecutivas e, neste domingo, o time de Rogério Ceni tem mais um desafio visando a conquista do Brasileirão. Diante do Athletico, na Arena da Baixada, o Rubro-Negro entra em campo às 16h pela 32ª rodada, partida na qual o treinador precisará recorrer às alternativas para montar a equipe com as ausências de Bruno Henrique – suspenso – e Rodrigo Caio, que se lesionou na quinta-feira.

A expectativa é grande pela definição do substituto de Bruno Henrique. A chance de Pedro e Gabigol começarem juntos no Brasileirão pelo Brasileiro, contudo, é pequena. Ceni diz não enxergar os dois atuando lado a lado desde o início, e deve optar por Vitinho, com características mais parecidas a de BH27.

– Gabriel e Pedro? Eu, até agora, não consigo ver essa possibilidade desde o início. Temos alguns dias para pensar, olhar e ver se é possível. Se não, vamos colocar outro jogador da função do Bruno, de velocidade, por isso é mais difícil. Nem o Gabriel nem o Pedro tem essa característica de lado de campo – afirmou Rogério Ceni, na última quinta, após a vitória sobre o Palmeiras em Brasília.

Na defesa, por outro lado, o problema exige maior atenção. Titular absoluto, Rodrigo Caio sofreu uma lesão na coxa direita diante do Palmeiras, quando a solução de Ceni foi improvisar Willian Arão ao seu lado. Substituído ainda no primeiro tempo, o zagueiro deu lugar a Gustavo Henrique, que foi bem na companhia do improvisado volante. Como opções, o treinador tem Thuler, Natan e Léo Pereira, que não estão tão “prestigiados” com Ceni atualmente.

Reconhecendo a importância de Arão no Flamengo, o treinador falou sobre a possibilidade de manter o volante como zagueiro nesta reta final de Brasileirão.

– Onde quer que jogue, é muito importante para nós. Tem 280 jogos pelo Flamengo, sempre tem boa vontade em ajudar. Conversei com ele e se colocou à disposição para jogar onde eu quisesse. Para transformar um volante em zagueiro tem que contar com a boa vontade. É um cara que sempre demonstra isso. Pode voltar a ser utilizado assim, não necessariamente em sequência.

Fonte: Lance

1 COMENTÁRIO

DEIXE UM COMENTÁRIO