Vinicius Jr. se solidariza com aposentadoria precoce de Dener, ex-zagueiro do Flamengo

O Flamengo tem revelado inúmeros jogadores nos últimos anos. Porém, nem todos conseguem seguir a carreira profissional de forma natural, como é o caso de Dener. O agora ex-atleta anunciou a aposentadoria precoce, aos 23 anos, por conta de problemas no joelho decorrentes de cirurgia e fisioterapias mal feitas. Vinicius Jr., também cria do Ninho, demonstrou solidariedade com o amigo.

Vinicius Jr. e Dener chegaram a treinar e jogar juntos nas categorias de base do Flamengo. O ex-defensor, no entanto, pouco atuou na época, pois já convivia com lesões no joelho. O atacante, atualmente do Real Madrid, publicou em seu perfil na rede social do Instagram: “Que Deus abençoe no novo caminho. Que seja brilhante e comprometido como você era no futebol. Tamo (sic) junto e força”, escreveu o camisa 20 merengue.

ENTENDA A SITUAÇÃO:
Dener era apontado como uma das maiores promessas da categoria de base do Flamengo. O ex-defensor, inclusive, era capitão do sub-20 e ganhou uma Copa São Paulo Junior em 2016. Porém, ele lesionou o joelho e, neste final de semana, acusou o departamento médico do Flamengo de negligência no tratamento.

— No começo de 2018, me colocaram para treinar junto com o grupo, mesmo com aquele problema e incômodo, e eu a todo momento relatando. Fiz treinos no profissional. Fiz jogo amistoso no profissional sentindo bastante dores. Sentindo incômodo e frouxidão. Mas, como te falei, fiz exames e me passaram que estava tudo certo. Como eu estava sem espaço e acabava o meu contrato, o Figueirense solicitou a minha volta -, disse Dener em entrevista ao jornal O Dia. Ele ainda completou:

— Cheguei ao Figueirense e foram me avaliar. Eu passei essa situação do meu joelho, observaram essa situação, acharam estranho e pediram um exame. E foi aí que veio a surpresa. Eu estava sem o cruzado, treinando há oito meses com o cruzado rompido, como se não tivesse feito a cirurgia. E depois, pegamos exames feitos em 2017, apontava que o cruzado estava mal visibilizado, onde qualquer médico ortopedista que pegasse para analisar, viria que precisaria de uma nova cirurgia. Isso não foi passado para mim na ocasião -, concluiu.

Dener contou que a primeira cirurgia foi feita por um profissional do Flamengo, enquanto a outra acabou sendo feita por um especialista de fora do clube, mas que operava os atletas do time carioca com frequência. O ex-jogador preferiu não citar nomes. Porém, ele ainda falou mais sobre o drama vivido no período.

— Então, cheguei ao Figueirense, os médicos não me aceitaram, pois estavam com o ligamento rompido e estava treinando mesmo assim. Voltei ao Flamengo e conversaram comigo para não fazer uma nova cirurgia, pois falaram que eu estava treinando há muito tempo e eu iria acabar perdendo muito tempo. Eu pedi para fazer, e a cirurgia acabou sendo realizada. Fiz o tratamento no clube, mas, mesmo assim, eu vinha apresentando falta de flexibilidade no joelho. Eu fiz essa segunda cirurgia na época da Copa do Mundo de 2018. Então o clube estava de recesso. Fizeram a cirurgia e me deixaram de 15 a 20 dias sem mexer o joelho, sem ter o fisioterapeuta para acompanhar. A princípio, iam me oferecer uma clínica de fisioterapia, mas dois dias antes da cirurgia me passaram que era para ficar de repouso em casa. Isso fez o meu joelho ficar duro. Muito duro. Isso causou uma fibrose muito forte. Isso foi descoberto alguns meses já no Figueirense treinando -, contou o ex-defensor, que prosseguiu:

— Fiz uma nova cirurgia já no Figueirense, fiz uma limpeza, a fibrose já tinha pego a cartilagem também. Causou um problemão… meu ligamento cruzado, que tinha sido operado, já estava frouxo também. Eles tinham mexido no meu canto postoraletal. É muito chato eu falar isso, mas não posso deixar passar, pois acabou com a minha carreira -, finalizou.

Por: Coluna do fla

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira seu comentário!
Por favor insira o seu nome aqui