Após acusações de Ederson e Dener, vice do Flamengo rebate: “Acusar é fácil, provar não”

No último sábado (02), o zagueiro Dener Machado, ex-Flamengo, afirmou que o principal motivo de sua aposentadoria se deu por conta de diversas cirurgias mal sucedidas no joelho. Nesta segunda-feira (04), Ederson, ex-jogador do Fla, relatou que viveu situação parecida com o departamento médico do clube. A declaração gerou polêmica nas redes e Rodrigo Dunshee, vice-presidente geral do Clube da Gávea, manifestou sua opinião sobre o tema em sua conta oficial no Twitter e afirmou que ex-atletas não são qualificados para avaliar ou julgar condutas médicas.

CONFIRA AS PUBLICAÇÕES DO DIRIGENTE:

– Cirurgias são atividade de risco inerente. Na justiça, um dos processos mais difíceis são os de erro médico, pela possibilidade natural de uma operação não atingir 100% de sucesso. Temos que valorizar nossos médicos, que, até prova em contrário, são heróis desse Brasil. 

 – Eles tem dado exemplos diários de sacrifício e devoção e merecem respeito. Ex atletas não são qualificados para julgar condutas médicas. Entendo algumas frustrações, mas culpar pessoas não é a melhor forma de aceitar as fatalidades da vida. Acusar é fácil, provar não. Estou falando sem citar nomes ou processos. O lugar para discutir casos específicos é em processo judicial. 

Dener foi capitão das categorias de base do Flamengo e foi campeão da Copa São Paulo de Futebol Junior em 2016. No entanto, no ano seguinte, o zagueiro sofreu uma grave lesão e, desde então, não conseguiu retornar aos gramados. Já Ederson, anunciou a aposentadoria somente em 2020. O jogador chegou ao Rubro-Negro em 2015 e permaneceu até 2018, no qual realizou apenas 38 partidas e marcou quatro gols. O antigo camisa 10 rubro-negro se solidarizou com Dener e relatou a sua experiência com o Manto Sagrado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira seu comentário!
Por favor insira o seu nome aqui