Em coletiva, Isla destaca erros de arbitragem e exalta o Brasil como melhor futebol do mundo

Na tarde da última quarta-feira (23), o lateral Maurício Isla concedeu uma coletiva que foi transmitida pelo canal FlaTV. Como pautas principais, estavam a ida do técnico Rueda para a seleção colombiana, o episódio de injúria racial envolvendo o meia Gerson e Índio Ramirez, comparações entre o futebol europeu e o brasileiro, erros de arbitragem, torcida rubro-negra, Rogério Ceni, Libertadores entre outros.

Quando perguntado sobre a possível ida de Reinaldo Rueda para a seleção colombiana, o lateral alegou que não possui informações sobre o assunto e que está totalmente focado no Mais Querido. “É uma decisão muito pessoal do treinador Rueda. Ele é uma pessoa e um treinador muito bom, mas eu não sei de nada, eu estou muito ligado ao Flamengo, não falo nada da seleção, não sei se o Rueda vai para a Colômbia ou se vai terminar no Chile”, respondeu.

Ao ser questionado sobre o episódio de injúria racial na última partida contra o Bahia, ele respondeu que “o racismo não é somente no Brasil, é em todo o mundo. Na Inglaterra, França, Itália… é um ponto que deve acabar. A cor, seja branca ou preta ou café, somos todos iguais e deve acabar, porque é muito doloroso para todo mundo”, pontuou o atleta.

Referindo-se ao técnico Rogério Ceni, Isla não poupou elogios e o comparou com Marcelo Bielsa, pontuando que “ele trabalha muito bem, está muito ligado ao trabalho”. O chileno ainda destacou a possível vantagem que o clube carioca terá a respeito da próxima partida contra o Fortaleza (26), levando em conta que Ceni é ex-técnico da equipe, o que se torna favorável para o Fla. Todavia, não subestimou a equipe nordestina.

Isla também deu sua opinião a respeito do que pensa sobre os erros de arbitragem no Brasil, destacando que “árbitro, seja brasileiro ou como em todo o mundo, erra. Assim como o jogador erra, assim como o treinador erra. O Flamengo tem jogado com árbitros que trabalham muito bem e árbitros que têm errado. Como na última partida, que aconteceu muita coisa envolvendo Bruno Henrique e Gabigol”, pontuou ele sobre a partida contra o Bahia.

O lateral também declarou sobre a ansiedade de poder atuar com a torcida Rubro-Negra nas partidas, disse que “para um jogador, o que vive o futebol são os fãs, a torcida. No Brasil, no Instagram, no Twitter, no Facebook, todo mundo é Flamengo. Eu estou muito ansioso para os torcedores poderem voltar ao estádio”, destacou.

Ao ser perguntado sobre o que falta no futebol brasileiro, o lateral disse: “Nada. Eu estou muito surpreso com o Campeonato Brasileiro, tanto com os jogadores ‘grandes’ como os jogadores da base, são muito fortes. O Brasil, para mim, é o melhor futebol do mundo. De onde sai os melhores laterais como Roberto Carlos, Marcelo, Daniel Alves, Maicon, Cafu. Por isso, para mim, jogar no Brasil era uma obsessão, porque no Brasil se joga tantas partidas e sempre com um futebol bonito que todo mundo gosta”, detalhou.

Ao falar da eliminação da Copa Libertadores da América, Maurício falou sobre sua experiência em campo durante os jogos. Apesar de ser sul-americano, ele disse nunca ter disputado o campeonato anteriormente. “A experiência foi muito triste. Na última partida contra o Racing, o Flamengo jogou muito bem. Eu tenho dois ou três amigos no Racing que já jogaram comigo, e eles sabem que o Flamengo jogou muito bem. Mas, quem passou foi o Racing. O último campeão foi o Flamengo, agora a gente tem que trabalhar muito para jogar bem no próximo ano a Copa Libertadores”, finalizando.

Urubu Interativo: Shayenne Furtado

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira seu comentário!
Por favor insira o seu nome aqui