“Quero ser uma voz ativa no mundo”, diz Gerson sobre luta contra o racismo

Jogador diz não irá desanimar quer seguir lutando para acabar com o racis

Gerson em atividade no Ninho (Foto: Alexandre Vidal/Flamengo)

O volante Gerson comentou sobre a denúncia de racismo que fez contra o colombiano Indio Ramírez, do Bahia, após a vitória rubro-negra no último domingo pelo Campeonato Brasileiro.

Em entrevista à FlaTV, Gerson lamentou o fato ocorrido e afirmou que quer ser uma pessoa importante no mundo inteiro para ajudar no combate ao racismo:

“Noite ruim, eu nunca tinha sofrido ato racista. Quando sofre na pele, é pior ainda. Nunca vou esquecer esse dia. Mas as medidas já foram tomadas. Não sei qual a diferença que as pessoas veem de uma para outra. Quando se machuca, qual é a cor do sangue? Não sei o motivo de o mundo em que vivemos ter essas coisas. É muito triste. Não vai ser isso que vai me desanimar. Quero ser uma voz ativa no mundo.”

O caso se junta a mais um neste ano de 2020, que fica marcado por diversos atos racistas tanto no Brasil quanto em outros países.

Há algumas semanas, em um jogo do PSG contra o Istanbull pela Champions League, a partida chegou a ser paralisada por um ato racista do 4º árbitro, e o jogo só foi concluído no dia seguinte.

Na semana passada, um garoto de 11 anos também sofreu de racismo enquanto jogava futebol e recebeu convites de vários grandes clubes do futebol brasileiro.

Retirado de: hashtag Rubro negro

DEIXE UM COMENTÁRIO